sexta 22 outubro 2021
Contexto

QUIS O DESTINO

QUIS O DESTINO
que, justamente na semana de comemoração dos 40 anos do Jornal de Jales, dois projetos amplamente apoiados pelo J.J. saíssem do marco zero com boas possibilidades de seguir adiante.

CONSIDERADOS
absolutamente utópicos e inexeqüíveis pelos eternos profetas do pessimismo, tanto a Cidade Judiciária quanto o Hospital Estadual Regional foram muito bem recebidos, nos últimos dias, por quem decide.

NO CASO
do Hospital Estadual, cujo tiro de partida foi dado através do Jornal de Jales  (J.J.-,,,), que publicou artigo do médico Luiz Henrique Leite Nogueira, tornando público um assunto que vinha sendo tratado quase em sigilo, o anteprojeto já está nas mãos do professor Giovani Cerri, secretário estadual de Saúde. 

COMO SE SABE,
Cerri esteve na região na sexta-feira, dia 30 de setembro, para conferir de corpo presente o funcionamento dos Ambulatórios Médicos de Especialidades em Jales, Santa Fé do Sul e Votuporanga. Ao fazer as honras da casa ao visitante, Luiz Henrique que, além de 32 anos de experiência na rede pública de saúde, também é gerente médico do AME de Jales, aproveitou para entregar o anteprojeto a Cerri.

DEPOIS,
ao discursar, coube ao prefeito Humberto Parini (PT), com o devido reforço da deputada estadual Analice Fernandes (PSDB), fazer a reivindicação de viva voz. Parini, habilidosamente, usou conteúdo de entrevista que o secretário de Saúde dera à revista da Associação Paulista de Medicina, pregando descentralização, para defender a instalação do hospital estadual em Jales.

HOJE,
os hospitais estaduais mais próximos, o João Paulo II e o Hospital de Base,ficam em São José do Rio Preto, a 150 quilômetros de Jales, causando desconforto aos pacientes que precisam sair de madrugada de suas respectivas localidades.Um hospital público em Jales poderia absorver uma população de 350 mil habitantes espalhados por 34 municípios em um raio de, no máximo, 45 quilômetros.

CINCO DIAS
depois, uma caravana de Jales integrada pelo prefeito Parini, vereadores Claudir Aranda (PDT), presidente da Câmara Municipal, e Luís Especiato (PT), além dos advogados  Carlos Alberto Brito Neto, conselheiro seccional da OAB/SP, e Aislan de Queiroga Trigo, presidente da 63ª Subseção apresentou ao desembargador Roberto Haddad, presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, as linhas gerais  da Cidade Judiciária, concentrando em um mesmo espaço todas as instâncias estaduais e federais, justiça trabalhista e polícia federal.

O PRESIDENTE DO TRF
recebeu a idéia com entusiasmo chegando a dizer que, se o projeto já estivesse pronto, ele poderia alocar recursos já  no orçamento do Tribunal 
para 2012, desfazendo,portanto,a  ameaça velada de fechamento da Vara Federal de Jales caso a Prefeitura não fizesse a prometida doação da área onde funciona hoje o campo da Fepasa.  

ESTES DOIS ACONTECIMENTOS,
além de importantes para o desenvolvimento  da cidade, também servem para lavar a alma da direção e profissionais do Jornal de Jales que, em ambos os casos, empenharam-se de peito aberto na defesa da implantação da Cidade Judiciária e instalação  do Hospital Estadual. No último caso, o J.J. desfraldou a bandeira praticamente sozinho...

Desenvolvido por Enzo Nagata