sexta 22 outubro 2021
Contexto

QUEM NÃO SABE DIVIDIR

 

QUEM NÃO SABE DIVIDIR
não consegue somar nem multiplicar, ensinavam os nossos pais. A se julgar por essa linha de raciocínio, agiram bem, na semana que passou, pelo menos dois segmentos partidários — o Democratas (DEM)  e seus aliados (PV, PSB, PRP e PC do B), de um lado, e o poder público municipal personificado pelo PT, de outro.
 
NO PRIMEIRO CASO,
o zootecnista Flávio Prandi Franco, o Flá, ex-vereador, assessor parlamentar do deputado licenciado Rodrigo Garcia, secretário estadual de Desenvolvimento Social,   e   pré-candidato a prefeito em 2012, promoveu uma reunião partidária, domingo passado, na Associação Comercial, com a presença de aproximadamente 120 pessoas, das quais 40 pré-candidatos à vereança fechados com ele.
 
COMO NÃO HOUVE
churrasco, cervejada, coquetel nem mesmo um prosaico café-da-manhã, para atrair simpatizantes  e  até mesmo  bicões, aqueles que adoram uma boca livre, considera-se  que a reunião foi  sucesso de público, eis que todos os lugares da platéia estavam  preenchidos.
 
SE 
Flá pensou em realizar a reunião partidária para medir a musculatura de suas pretensões políticas, foi um bom test drive. Caso o encontro tivesse feito água, ele teria que repensar seu projeto político e tocar a vida focando outra coisa.
 
O FATO NOVO
é que o mencionado  prefeiturável não foi guloso. Entre roubar a cena e  capitalizar o movimento só para si ou abrir  espaço para outros prefeituráveis como o vice-prefeito Clóvis Viola (PPS) e o provedor da Santa Casa, José Devanir Rodrigues, o Garça (PMDB), além do presidente local do PSDB, Carlos Cardoso, e do PP, Paco Gerez Garcia, entre outros, ele preferiu a segunda hipótese.
 
CLARO
que pode haver quem defina o que Flá fez de ingenuidade, na medida em que deu voz a concorrentes. Pode até ser. Mas,por outro lado, ele abriu as portas para entendimentos futuros, acrescentando ao gesto da gentileza política,  verniz  do discurso da unidade em torno dos superiores interesses da cidade.
 
OUTRA DEMONSTRAÇÃO
de civilidade política foi a formatura de mais uma turma do curso de Gestão Pública do pólo de Jales da Universidade Aberta do Brasil, sábado passado, dia 5 de novembro. Todos sabem que a UAB é obra e graça do trânsito do prefeito Humberto Parini, do PT, no Ministério da Educação. O próprio coordenador do pólo, Nilton Marques, já foi até secretário municipal da Agricultura e joga no time de Parini desde sempre.
 
EM SENDO ASSIM,
o prefeito poderia perfeitamente mexer seus pauzinhos e tirar dividendos de uma solenidade como aquela na véspera do ano eleitoral,manipulando nos bastidores para colocar na vitrine algum aliado político. Não o fez. Preferiu respeitar a vontade dos formandos, que escolheram como patrono da turma o secretário estadual de Gestão Pública, Júlio Semeghini, presidente do Diretório do PSDB em São Paulo.
 
COMPORTAMENTOS
políticos como os de Flá, de um lado,  e Parini, de outro, contribuem para oxigenar um setor normalmente caracterizado pelo acirramento dos ânimos. Melhor para a cidade. Afinal de contas, disputa política não é briga de rua...  
Desenvolvido por Enzo Nagata