domingo 20 junho 2021
Editorial

Orgulho de ser jalesense

A rede mundial de computadores veio para o bem e para o mal. Se, de um lado, a internet transformou o mundo em uma aldeia global tornando a comunicação instantânea, por outro lado as redes sociais viraram campo fértil para a proliferação das chamadas “fake news”.

Em nível nacional, por exemplo, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, escancarou as entranhas do submundo da informação ao determinar à Polícia Federal a abertura de inquérito para apurar a origem de um verdadeiro turbilhão de notícias falsas difundidas até por fontes palacianas sem o menor compromisso com a verdade.

 Em nosso quintal, alguns participantes de grupos de WhatsApp, protegidos pelas teclas dos computadores, dedicam-se dia sim e outro também a esculhambar a cidade em que moram, atingindo principalmente detentores de mandatos.

Tais pessoas não se dão conta de que, por exemplo, em nível de saneamento básico vivem em uma cidade comparável às mais evoluídas do Primeiro Mundo, com 100% de água e esgoto tratados.

A rede médico-hospitalar com um hospital geral (Santa Casa) e outro específico para tratamento de câncer (Hospital de Amor), além do AME (com 17 especialidades), tudo a custo zero, colocam Jales em um patamar elevado neste segmento.

Quanto à educação, a rede municipal de ensino, desde 2005, vem apresentando índices acima da média nacional em todas as avaliações oficiais. Tudo isto sem contar, em nível superior, a centenária Unijales e a estadual Fatec, com corpo docente formado por mestres e doutores.

Mas, independentemente das condições que Jales oferece em setores estratégicos —saneamento, educação e saúde— a cidade tem um patrimônio muito maior —a qualidade de seu povo.

As eleições municipais de 15 de novembro último provaram que, mesmo fora de Jales, quem nasceu e viveu aqui é diferenciado, como demonstraram Fernanda Lima, delegada de polícia em Formosa-Goiás, candidata à vereança mais votada, e Carla Ayres, cientista social, eleita vereadora em Florianópolis-Santa Catarina.

Carla se elegeu erguendo bandeiras de vanguarda como a defesa intransigente dos direitos humanos e da comunidade LGBTQI+.

Fernanda surpreendeu a opinião pública propondo, pós-eleição, a realização de um Processo Seletivo de provas, títulos e até entrevista para a escolha de seus assessores de gabinete, em contraponto aos coronéis da política que gostam de empregar apaniguados incompetentes. Sem dúvida, uma lição para o Brasil.

Por estas e muitas outras razões que não cabem neste espaço, vale usar versos do Hino de Jales para proclamar em alto e bom som: “pedacinho de Ordem e Progresso/Isso é Jales do meu coração/com orgulho de ser jalesense/a bandeira da nossa nação”.


Desenvolvido por Enzo Nagata