Contexto

O FALECIMENTO

 

O FALECIMENTO
de Honório Amadeu, aos 76 anos, dia 28 de janeiro, fecha um ciclo na política de Jales. Desde que o município foi fundado, em 1941, já viajaram para o andar de cima os ex-prefeitos Euphly Jalles, Pedro Nogueira, Roberto Valle Rollemberg, José Antonio Caparroz, Valentim Paulo Viola, José Carlos Guisso e, agora, Honório.
 
DENTRE 
esses sete, só José Carlos Guisso entrou na política no final da década de 80, mais precisamente em l988, quando foi candidato a vice-prefeito de  Caparroz. Em 1992, como cabeça de chapa, elegeu-se pela primeira vez, voltando a vencer outra eleição em 2000. Euphly e Pedro Nogueira disputaram eleições nos primórdios da cidade e Rollemberg, Honório, Caparroz e Viola foram batizadas nas urnas nos anos 60. 
 
DOS PREFEITOS
eleitos pelo voto popular só três  estão vivos— Edson Freitas de Oliveira (1969-72), Antonio “Rato” Sanches Cardoso (1997-2000) e  Humberto Parini, que governa a cidade desde 2005, tendo sido reeleito em 2008..
 
POR ESTAS RAZÕES,
o falecimento de Honório embute também um aspecto simbólico em termos históricos.  É a última grande liderança forjada na década de 60 que deixa a cena política, ressalvado o aspecto de que, na prática, ele já estivesse fora do jogo há mais de 20 anos.
 
PORTANTO,
as eleições municipais de outubro próximo têm um significado que extrapola a simples disputa pelo controle da Prefeitura de Jales ao longo dos quatro anos seguintes. Trata-se da primeira eleição em que os protagonistas são políticos emergentes.
 
Á EXCEÇÃO
de José Devanir Rodrigues, o Garça (PMDB), que estreou em 1982, como candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Valentim Paulo Viola, todos os outros seis pré- candidatos surgiram no cenário eleitoral a partir do final da década de 90, como se poderá constatar no próximo tópico.
  
O PRÉ-CANDIDATO
Luís Especiato (PT) começou em 1996, quando foi o vereador mais votado. Clóvis Viola (PPS), Rivelino Rodrigues (PMDB) e Flá (DEM) elegeram-se para a Câmara Municipal em 2000. Eunice Mistilides (PTB) foi batizada nas urnas em 2004, quando disputou a Prefeitura pela primeira vez, voltando a fazê-lo em 2008. Jorge Pêgolo (PSDB) elegeu-se vereador em 2004.  Pedro Manoel Callado Moraes (PSDB) ainda não disputou eleições.
 
ESPERA-SE AGORA
que esta nova geração de pessoas públicas possa atingir a mesma estatura política das grandes lideranças referidas no início do texto que, mesmo defendendo posições antagônicas, contribuíram grandemente para fazer de Jales um pólo irradiador de tendências políticas para a região.