Editorial

O acidente que mudou a história

Hoje, 21 de novembro de 2021, faz 20 anos que um acidente automobilístico na rodovia Euclides da Cunha, a poucos quilômetros do centro da cidade, tirou a vida do prefeito José Carlos Guisso (PSDB).

Três horas antes, Guisso estava exultante. Ele foi informado pelo diretor deste jornal de que 44 diretores de jornais e quatro de revistas tinham confirmado presença no Congresso Estadual da Associação dos Jornais do Interior (ADJORI), que começaria no dia seguinte em Jales.

O prefeito sabia que aquele grande encontro da imprensa interiorana, aí incluídos órgãos da Grande São Paulo e até da Baixada Santista, poderia servir de vitrine para sua administração, que estava a mil por hora.

Horas depois, quando os jalesenses tomaram conhecimento do infausto acontecimento, a cidade vestiu luto fechado. Centenas de pessoas foram para a rodovia onde o corpo do prefeito jazia estendido no asfalto.

 De sua parte, os coordenadores do encontro jornalístico passaram a madrugada toda comunicando aos associados o adiamento do congresso. Seis meses depois, a direção da ADJORI manteve a programação, dividindo-a entre Jales e Santa Fé do Sul, então sob a administração de Itamar Borges, que abraçou a causa.

Transcorridas duas décadas, não é exagero afirmar que aquele trágico episódio teve efeitos colaterais que se fazem sentir até hoje.

Em primeiro lugar porque Guisso, que tinha saído do primeiro mandato (1993/1996) com baixos índices de aprovação, venceu, quatro anos depois, o candidato à reeleição que era franco favorito— Antonio Sanches Cardoso (PMN). O professor Rato, quatro antes, tinha atropelado as grandes lideranças políticas da cidade alcançando impressionantes 66,07% dos votos.

Acrescente-se a isso o fato de que o prefeito eleito para o segundo mandato, demonstrando maturidade e espírito democrático, procurou, no dia seguinte à vitória, os adversários que tanto o criticaram nos palanques propondo-lhes não somente participação em sua administração, mas também parceria efetiva em um projeto duradouro pelo bem da cidade, inclusive com revezamento no comando da Câmara Municipal.

Mas, Guisso não ficou só em tratativas com políticos. Ele foi beber em outra fonte a água que poderia vitaminar seu governo—a comunidade— onde recrutou nomes de grande peso para integrar um projeto inovador, o Secretariado Custo Zero, que teve repercussão nacional.

É temerário fazer qualquer assertiva a respeito, mas unindo a cidade como o fez, José Carlos Guisso teria todas as condições de alçar voos mais altos, até porque, diagnosticado com câncer, o deputado federal Roberto Rollemberg (PMDB) não disputaria as eleições de 2002.

Infelizmente, o acidente na noite de 21 de novembro de 2021 mudou tudo...