Contexto

NA ÚLTIMA SEMANA, ...

NA ÚLTIMA SEMANA,

o portal do “Vacina Já”, disponibilizado pelo Governo do Estado de São Paulo, informou que Jales é a segunda colocada no ranking de vacinados com a primeira dose no estado entre os municípios com mais de 30 mil habitantes, desconsiderando as cidades de Botucatu e Serrana, que se beneficiaram com a vacinação em massa contra a Covid-19, em função de estudos realizados pelo Ministério da Saúde para testar a eficácia das vacinas.

PORÉM, O NÚMERO

de vacinados com a primeira dose poderia ser ainda mais alto. De acordo com a enfermeira Renata Rachieli, responsável pela imunização no município, algumas pessoas ainda procuram escolher qual vacina tomar. Segundo ela, na fila de vacinação alguns munícipes exigem o laboratório de sua preferência e se recusam a receber aquele imunizante disponível no dia.

ESSE FATO

não está acontecendo somente em Jales, mas em todo o Brasil. Casos registrados nas capitais Curitiba e São Paulo mostraram que pessoas vão até as unidades de saúde ou postos de vacinação, perguntam qual vacina está aplicando e, se não for de seu agrado, o cidadão dá meia volta e vai embora.

DE ACORDO

com João Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência do coronavírus em São Paulo, a escolha de qual vacina tomar gera constrangimento e dificuldade para que o Plano de Imunização se cumpra no tempo previsto.

DIANTE DESSA SITUAÇÃO,

a Secretaria de Saúde de Jales pensou além e, agora, está fazendo com que o munícipe que se negar a tomar a vacina disponibilizada no dia assine o “termo de recusa”, responsabilizando-o pela rejeição.

ATUALMENTE

Jales está disponibilizando no drive-thru de vacinação doses da CoronaVac, Oxford/AstraZeneca, Pfizer e Janssen. Até na última sexta-feira, dia 2 de julho, foram imunizadas com a primeira dose na cidade pessoas de 38 anos. O objetivo do novo Plano de Imunização do Estado de São Paulo é vacinar a população adulta até a primeira quinzena de setembro. (Bruno Gabaldi)


Desenvolvido por Enzo Nagata