segunda 21 junho 2021
Especial

Grupos se unem para produzir mais máscaras

Por Luiz Ramires 

A produção de máscaras de proteção está ganhando força na cidade com a união dos grupos que já vinham fazendo esse trabalho, como “Mãos do Bem” e “Amigas do Amor” com o apoio do padre Valdair Rodrigues através de um grupo de mulheres da Paróquia da Catedral que vinham fazendo o mesmo trabalho e agora também colaboram com a confecção e doação de material.

Ana Maria Saura Rodrigues, do grupo “Mãos do Bem”, explicou que essa união está sendo muito importante, pois todos participando da produção das máscaras através de um único grande grupo, tudo se torna mais fácil, inclusive com mais adesão de outros voluntários.

O grupo já tinha feito doação para colaboradores de locais como a Santa Casa, Ambulatório de Saúde Mental e Hospital de Amor e estava se preparando para fazer outras entregas, inclusive para pacientes do HA cadastrados na AVCC e outras pessoas.

Ana acredita que com a união dos grupos, o trabalho deverá ser realizado de forma permanente, enquanto permanecer o combate à Covid-19, procurando suprir a necessidade de máscaras de proteção, onde for possível atender.

INÍCIO 

O grupo “Mãos do Bem” começou com Eunice Paz Landim, Esteli Roma Missoni, Magali Prandi Franco, Neuza Polezeu da Silva e Ana Maria Saura Rodrigues, e hoje conta com mais de 90 participantes.

O padre Valdair, vigário da Catedral, explicou que elas o procuraram e ele fez uma convocação quando pediu doações de materiais e serviços para a confecção de maior quantidade de máscaras e logo surgiram muitas pessoas solidárias.

A partir de então nasceu um trabalho ecumênico. “Contamos com um número considerável de mulheres, alguns homens e, entre essas pessoas há cristãos católicos, cristãos de outras igrejas, espíritas, membros participantes de outras instituições sociais, membros da AVCC e outras”, disse o padre.


Desenvolvido por Enzo Nagata