domingo 25 julho 2021
Geral

Dr. Edison, um homem íntegro

Assim que recebemos a triste notícia do falecimento do Dr. Edison, nossa família, em conjunto, houve por decidir prestar uma singela homenagem e fazer registrar algumas virtudes dele, pessoa com quem meu saudoso marido Nilo manteve estreitos laços de amizade por um longo período de convivência e histórias que marcaram nossas famílias.

Na terça-feira, 13 de julho de 2021, perdemos um homem que chegou a Jales no início dos anos 60. Homem, que podemos escrever com ‘H’ maiúsculo, pois assim era Dr. Edison de Freitas, casado com Maria Cândida, uma esposa dedicada e fiel aos ideais de seu marido.

Dr. Edison foi um indivíduo de uma simplicidade única; quando chegava na casa de um amigo ou mesmo para uma visita médica já dizia “Um bom chá já está bom demais, não se preocupem com cafézinho”. Era bastante franco e verdadeiro.

Nosso contato com Dr. Edison era frequente, visto que ele e o Nilo tinham muita coisa em comum. A admiração era mútua. Ambos entraram juntos na política ao colaborarem na organização do MDB. Quando o Dr. Edison foi indicado para ser candidado a prefeito de Jales, ele disse que aceitaria se tivesse Nilo como seu vice, pois assim teria alguém em quem confiar mais. E assim aconteceu.

Foi uma pessoa inteligente. Entendeu quando saiu de licença da prefeitura, seu vice não poderia substitui-lo. Mas tem muitas histórias de sua passagem como prefeito de Jales que poucas pessoas conhecem.

Logo no primeiro ano, quando pretendia fundar uma boa biblioteca para a cidade, ele teve uma reação que hoje é pouco comum para alguém com sua integridade. Hoje chamamos de corrupção.

Uma grande empresa ofereceu ao então prefeito um carro, se desse preferência a ela na efetivação da compra, e o negócio fosse concretizado. Imaginem a reação que teve o Dr. Edison. Tanto que esse pessoal nunca mais apareceu na cidade. Apenas para ressaltar que na ocasião da oferta do carro, Edison de Freitas sequer tinha veículo

Um detalhe que presenciamos foi numa noite quando estávamos em sua casa e uma mulher chegou pedindo um pouco de pó de café para dar aos filhos. Maria Cândida não hesitou e deu a ela o que tinha no momento. Deu todo o pó e olhou para o marido, afirmou que não teriam café, mas sim um bom chá que afinal gostavam muito.

Há muitas passagens que não são possíveis resumir em poucas linhas pois nossas famílias partilharam imensas alegrias. Nossas famílias se reuniam todos os finais de semana no rancho, o que chamávamos de ‘ranchão’. E, sabemos que o maior sonho da vida do Dr. Edison de Freitas era a construção da ponte sobre o Rio Paraná que interligava os dois estados, pois era nascido e criado em Aparecida do Taboado, ele alimentou esse sonho até após sua mudança para o Mato Grosso.

E importante é que, se não estou enganada, ele sequer foi convidado para a inauguração. Talvez para não ofuscar a presença dos políticos que estavam no poder, na época. E, tem muito mais que poderíamos recordar do Dr. Edison e de sua família, que passou pela prefeitura desta cidade com uma honestidade inigualável.

Que Deus o receba com o respeito que merece.

Arlete Britto Neto e família


Edison Freitas de Oliveira, médico e ex-prefeito de Jales, faleceu no dia 13 de julho, aos 91 anos


Desenvolvido por Enzo Nagata