Artigo

ARTIGO ACADÊMICO: Benefícios da Terapia Aquática na lombalgia

A lombalgia é definida como uma condição de dor localizada na região inferior do dorso, situada entre o último arco costal e a prega glútea, causada por uma lesão em um músculo ou ligamento, onde as causas mais comuns são: a má postura, torções musculares, excesso de peso, comprometimento do disco intervertebral, espondilolistese, inflamações, pequenos traumas, esforços repetitivos e fatores psicossociais. (SOUZA; VIANA, 2021).

A lombalgia é classificada em dois tipos, aguda e crônica, sendo a aguda causada por uma lesão repentina como por exemplo, um estiramento muscular, dor intensa que aparece logo após um esforço físico ou um movimento inadequado que persiste durante duas a quatro semanas. Já a lombalgia crônica apresenta uma dor moderada a intensa e de duração superior a três meses. (MARTINS et al., 2018).

O diagnóstico é baseado na história clínica do paciente. Tais aspectos tornam o diagnóstico da lombalgia na medida em que é preciso determinar as causas e a extensão do problema. Na avaliação física, serão feitos testes específicos para o diagnóstico, e para complementar a investigação diagnóstica os exames de imagem como radiografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética. Uma vez identificada a causa e fechado o diagnóstico, terá início o tratamento da lombalgia. (SOUZA; VIANA, 2021).

Para o tratamento de lombalgia, a fisioterapia aquática possui diversos recursos que promovem o alívio da dor lombar e a restauração das funções do indivíduo. E dentre esses recursos, destaca-se a terapia aquática, uma técnica milenar que proporciona através das propriedades físicas da água e seus efeitos fisiológicos e terapêuticos, diversos benefícios melhorando a qualidade de vida do paciente. (COSTA; ASSIS, 2010).

De acordo com Oliveira e Braz (2012) a terapia aquática permite ao paciente com Lombalgia, ganhar força muscular, melhora do equilíbrio e condicionamento cardiorrespiratório, minimiza o impacto nos membros inferiores devido a ação da força de flutuação, proporcionando maior liberdade de movimentação dos membros, além de oferecer formas de realizar exercícios que até então podem ser impossíveis de serem realizados em solo.

Entre os benefícios da terapia aquática, podemos destacar: a melhora da dor, melhora da circulação sanguínea, ganho de amplitude de movimento, ganho de força muscular, além de promover o relaxamento muscular. (ALVES, 2015).

A Terapia Aquática se mostra eficiente não apenas em minimizar as dores causadas pela lombalgia, como também melhora a qualidade de vida do paciente frente ao seu bem-estar físico, emocional e psicológico, proporcionando ao indivíduo realizar suas atividades de vida diária. (SOUZA; VIANA, 2021).

Os alunos do 8º semestre de fisioterapia são capacitados durante a formação para o atendimento de lombalgia. Esse serviço está disponível a toda a população nas Clínicas Integradas da Fundação Educacional de Fernandópolis.

Coordenadora do curso: Luciana Marques Barros

Docentes Supervisoras: Maristela Ribeiro da Silva, Rosana de Fátima Garbin

Discentes: Giseli Carla Marçal Calisto

Leticia Aparecida Alves Ferreira

Natália Belone Sakamoto

Victor Rodrigues Maciel

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

SOUZA, C.A; VIANA, J.E. Benefícios da Hidroterapia na redução da dor e na melhora da função física em indivíduos com lombalgia: uma revisão de literatura. REASE, São Paulo, v. 7, n. 10, p. 1-13, out. 2021

COSTA, S.B; ASSIS, T.O. Hidrocinesioterapia como tratamento de escolha para lombalgia gestacional. Revista Tema, Paraíba, v. 9, n. 13/14, p. 1-8, jun/jul. 2010

MARTINS, N. et al. A Hidroterapia como recurso para o alívio da lombalgia em gestantes. Revista perspectiva: Ciência e Saúde, Rio Grande do Sul, v. 3, n. 2, p. 1-10. 2010

ALVES, V.C. Eficácia da Hidroterapia na redução da dor e na melhora da função física em indivíduos com lombalgia. Belo Horizonte: UFMG, 2015. 30f. Monografia apresentada ao curso de especialização em Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

OLIVEIRA, M.P.; BRAZ, A.G. A importância do fortalecimento da musculatura estabilizadora da coluna vertebral na prevenção e no tratamento de lombalgias. Manaus, 2012