jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Zeca Baleiro participa de disco de músico de Urânia

Mário Martinez lança “A Babel dos Bichos”, trabalho voltado para o público infantil
06 de outubro de 2019
O uraniense Mário Martinez: músico, poeta, professor de literatura e produtor cultural, com a atriz Adriana Petroni
O cantor e compositor uraniense Mário Martinez lançou esta semana em todas a plataformas digitais o disco infantil “A Babel dos Bichos”. O trabalho reúne as doze canções que compõem o espetáculo homônimo criado em parceria com a atriz Adriana Petroni (também parceira nas letras). As músicas misturam bichos (e insetos) dos mais variados tipos para tratarem de temas caros aos humanos, como preconceito, aspectos de personalidade, descobertas linguísticas, além de brincadeiras, como trocadilhos, trava-línguas, entre outros.
Reunindo um excelente time de músicos (Tadeu Romano, Otávio Gali, Rovilson Paschoal, Cléber Shimu e Emilio Martins), as faixas também apresentam grande variedade de ritmos. “O papagaio”, que abre o disco, (gravada ao estilo jazz manuche) é um dançante foxtrote. É seguida pelo ijexá “A formiga amiga”, com destaque para a percussão de Emílio Martins, produtor do Cd. “Ciranda do bem-te-vi” (cantada por Martinez e Nanah Correia, cantora que divide com ele a maioria das faixas) é uma leve cantiga de roda, com letra sensível.
Zeca Baleiro, o convidado de honra, canta com Mário Martinez a faixa “O sapo sábio”, um dos pontos altos do disco. Participam também como convidados o paraibano Renan Barbosa (em “Tou com a macaca”) e André de Souza, em “Pirilampeando”. Tata Fernandes, líder da Banda Mirim, um dos mais importantes grupos musicais voltados para o público infantil da atualidade, canta na faixa “O grilo”, um trava-línguas eletrizante.
Com letras inteligentes, acentuado tratamento poético e grande diversidade rítmica, as canções traduzem os temas propostos com extrema ludicidade. “Maria Fedida” fala de preconceito e da relatividade entre o feio e o bonito. O reggae “Croco e Dilo” trata das variantes de personalidade. A relação entre um cão e seu dono é tema da bela “Balada da minha cachorra”.  E há também o universo das histórias infantis, perpassadas em “Ciranda do bem-te-vi”, “O sapo sábio”, “A lenda do piolho encantado” e “A formiga amiga.
“A metáfora da torre de Babel é muito potente, porque suscita uma diversidade de associações, e é também algo extremamente atual, porque contém, sobretudo, as ideias de excesso, de confusão e, portanto, de embotamento que marcam esses nossos dias tão cofusos”, diz Mário Martinez.
QUEM É
Músico, poeta, professor de literatura e produtor cultural radicado em São Paulo há mais de uma década, Martinez já criou música e arranjo para espetáculos de dança, teatro e literatura. É autor de “Banalidades” (2003) e “Semibreves” (2010), ambos livros de poesia. No ano passado lançou a plaquete (pequeno livreto) “risco”, com alguns novos poemas e caligrafias. Como compositor, já esteve em alguns dos principais festivais do Brasil, além de ter sido gravado por vários artistas. Atualmente também atua como letrista, em parceria com o etnomúsico Wilson Sá Brito, na preparação do disco “Pirarrã”, voltado para música indígena, que está sendo produzido por Simone Sou.
Apesar de ter deixado a região de Jales há cerca de 30 anos, sempre manteve contato com os principais artistas locais, sendo parceiro do poeta Francisco Valdo Albuquerque (morto há dois anos) e do multiartista Rui Rodrigues de Souza.
______________________
A Babel dos Bichos
Mário Martinez & Adriana Petroni
Selo Tratore
(disponível em todas a plataformas digitais)