domingo 20 setembro 2020
Artigo

Você é?

Você se considera cristão? Responda mentalmente. Se você disse sim, precisará rever o conceito de cristianismo. Se disse não, repense pelo menos o que de bom você pode fazer nesse mundo.

O padre Fábio de Melo disse uma frase, antes mesmo do papa, e diante das suas homílias passei a observar sobre o conceito. “Eu me lembro de que há um tempo disse algo muito semelhante ao que o Papa Francisco falou recentemente. Fui muito crucificado. Na ocasião, eu disse que tinha muito mais prazer em lidar com um ateu honesto do que com um religioso hipócrita”, relatou Pe. Fábio de Melo no livro Crer ou não Crer, escrito junto com o ateu e historiador Leandro Karnal.

Você já conviveu com uma pessoa que diz não acreditar em Deus, mas que é um ser humano incrível, faz caridade, nunca fala mal das pessoas, respeita as opiniões alheias, não discute, não aponta o dedo e muito menos julga o outro, vive uma vida de plenitude? Isso não é fantasioso, existem muitos que estão por aí fazendo o bem sem se exibir para redes sociais, apenas fazendo sua parte nesse mundo em que vivemos. Agora, parece ser mais incomum acharmos esse ser humano.

Vamos pensar pelo outro lado, você já viu uma pessoa que diz ser cristã, não importa a religião, aquela que enche a boca para falar que crê em Deus e nos ensinamentos de Jesus, mas no seu dia a dia vive falando mal das pessoas, não pratica a caridade, é egoísta, orgulhosa, se acha melhor que todos, rouba dinheiro, não paga direito seus colaboradores, vive amargurado e reclamando da vida. Fala que bandido bom é bandido morto. Que aponta o dedo para aquela garota que foi estuprada, dizendo que ela provocou por causa da sua roupa. E ainda tem coragem de dizer que é cristão? Como?

Infelizmente, nos deparamos o tempo todo com pessoas assim. Não estou aqui para julgar ninguém, quero abrir a sua mente para que você possa se auto avaliar. Para que antes de você gritar aos quatro ventos que é cristão, que você consiga enxergar os verdadeiros valores que Ele deixou para que nós o seguíssemos. Estamos longe da perfeição, mas não estamos longe de ser cristãos de verdade.

Quem foi Jesus? Um homem simples, que caminhou com prostitutas, que perdoou Judas, que jurava ser seu amigo e o apunhalou pelas costas, que perdoou Zaqueu pelos seus atos corruptos, que caminhou ao lado da pobreza, sem luxo e sem soberba. Que deu a outra face para bater e que pregou o amor acima de tudo. Na época muitos viam ele como doido e, se fosse hoje, será que acreditaríamos ou seguiríamos a Jesus?

Será que estamos levando a nossa vida nessa direção? Será que não somos mesmo os cristãos hipócritas que o sábio Padre de Melo e o Papa Francisco disseram? Quantas vezes você se corrompeu pelo poder? Quantas vezes o seu ego falou mais alto diante das comunidades que você frequenta? Pense!

 Por isso, o cristianismo deve ser avaliado e se você deseja ser um cristão de verdade, comece a praticar o que Jesus pregava, pelo menos tente. Pense antes de falar, julgue menos, seja tolerante com o próximo. Seja o melhor que Ele pede!

 Caroline Guzzo

(Jornalista, jalesense, radicada em Uberlândia)

 MGMTb 71628/SP

Desenvolvido por Enzo Nagata