Arquibancada

Um clube que merece ser campeão

Organização, planejamento bem feito e estrutura qualificada, esses são três dos principais pilares de um clube campeão. Foi a partir disso, juntamente com o trabalho sério realizado a longo prazo, que o Athletico Paranaense derrotou o Internacional e chegou a uma das maiores glórias da sua história, o título inédito da Copa do Brasil.
Apresentando futebol ofensivo, característica marcante do técnico Tiago Nunes, o Furacão não tomou conhecimento do Colorado e venceu o rival nos dois confrontos da grande final. Na ida, 1 a 0 na Arena da Baixada, enquanto na volta o placar foi de 2 a 1 em pleno Beira-Rio.
A conquista dos paranaenses é um ponto marcante na história do clube que precisa ser encarado como um grande do futebol brasileiro. Analisando apenas 2018 e 2019, já são quatro títulos sob o comando de Tiago Nunes (Campeonato Paranaense, Sul-Americana, J. League/Conmebol e Copa do Brasil), números que causam inveja em diversos times brasileiros. 
Em todas as conquistas existem pessoas por traz que são as grandes responsáveis, e no Athletico isso não é diferente. Neste caso a principal é a diretoria rubro-negra, corajosa ao apostar em Tiago Nunes como técnico da equipe principal após a conquista do Campeonato Paranaense em 2018. Em todo esse período, foi dado o respaldo necessário ao treinador que não se contentou “apenas” com o título da Copa Sul-Americana em 2018.
Sem Raphael Veiga e Pablo, destaques da temporada passada, e Renan Lodi, vendido ao Atlético de Madrid neste ano, foram encontradas grandes soluções como Rony e Marco Ruben, fundamentais para a conquista do título nacional. Dominante no meio-campo com qualidades que a cada dia chamam mais atenção, Bruno Guimarães é jogador com potencial para brilhar na seleção e só aumenta ainda mais os méritos do Furacão que o contratou no início de carreira quando atuava pelo Osasco Audax.
Pensando em 2020, a vaga para a Libertadores já está garantida e a premiação de R$ 64,35 milhões da Copa do Brasil precisa ser utilizada para qualificar ainda mais o elenco. O desafio a partir de agora é continuar crescendo para chegar ao título sul-americano que ainda falta e voltar a ser campeão brasileiro, o que não acontece desde 2001.


Desenvolvido por Enzo Nagata