jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

TRAGÉDIA EM ARAÇATUBA

Comerciante de Jales é morto pela PM após assassinar os pais e ferir a esposa
28 de janeiro de 2018
Terreno na rua Argentina onde Rondina (direita) foi baleado ao atacar os policiais; à esquerda, seus pais, Wilson e Marineuza
Roni Willer - Especial para o Jornal de Jales 

O comerciante em Jales Ademir Magalhães Rondina, 51 anos, foi morto pela Polícia Militar após assassinar os pais e ferir a esposa, na manhã de domingo, 21, no bairro Icaraí, em Araçatuba. Os crimes aconteceram na rua Chile. Ele foi baleado na rua Argentina, onde enfrentou os PMs, sendo levado ainda vivo ao pronto-socorro, junto com a companheira, de 50 anos, mas acabou morrendo.  
Por volta das 6h55, a PM foi acionada, sendo informada, inicialmente, de um possível assalto. Quando uma equipe chegou ao local, Rondina estava em um terreno baldio, na rua Argentina, ensanguentado. Os policiais passaram a conversar com ele, para tentar convencê-lo a se entregar. 
Rondina, então, arremessou tijolos, quebrando o vidro da viatura e ferindo um PM. Alterado, ainda se aproximou dos policiais e não parou, fazendo com que tivessem de disparar tiros para contê-lo. Ele foi socorrido ainda vivo, mas morreu no hospital.

SURTO
Rondina tinha um comércio de tintas em Jales (SP). Ele, a esposa e uma filha moravam na casa dos pais e estavam com problemas financeiros. O casal estaria usando antidepressivos. Ele teria surtado depois de uma reunião familiar feita no sábado (20) para discutir a situação. 
A mãe dele, Marineuza Magalhães Rondina, 70, foi assassinada na cozinha; o pai, Wilson Rondina, 73, na sala. Ambos tentavam ajudar a esposa de Rondina, que sofreu cortes na mão e abdome; ela foi atendida e liberada. 
Na residência morava ainda uma idosa de 96 anos, avó dele, que está acamada, e a filha do casal, que tem 12 e presenciou os crimes, conseguindo fugir. Uma arma de fogo também foi usava durante o surto. 

ESPADA
A PM apreendeu na casa uma faca de serra usada nos crimes, uma corda, uma espada e um arma de fogo carregada seis munições, três delas deflagradas.
Rondina se mutilou e ainda tentou se matar. 
No terreno onde atacou os PMs, a cerca de 400 metros da casa, ele foi encontrado sentado e ensanguentado. A equipe afirma que fez disparos na intenção de contê-lo. Como já estava bastante ferido, não se sabe se ele morreu pelos tiros ou pelas lesões. (Colaborou José Marcos Taveira).