jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

TOQUE DE REUNIR ...

Fique Sabendo
24 de abril de 2017
Flá deu entrevista e depois foi para a missa. Depois, passou bola para o vice Garça, em cuja chácara recebeu os convidados.
TOQUE DE REUNIR-  Desde sua primeira homilia (sermão) como titular da Diocese de Jales, D. Reginaldo Andrietta , que assumiu a função em 31 de janeiro de 2016, sempre que pode—e aproveitando o gancho do tema da Fraternidade 2017, que prega cuidar da “casa comum” — dedica parte de suas falas a despertar  os fiéis para a necessidade de participarem ativamente da vida da comunidade, inclusive fiscalizando a qualidade da prestação dos serviços prestados pelo poder público. A coluna apurou que o bispo pretende transformar palavras em atos, estimulando o surgimento de grupos dispostos a fazer o dever de casa. A fonte do jornal garante que a mobilização é para já.

TALHERES – 99,9% dos representantes de rádios, jornais e blogs de Jales bateram ponto na noite de quarta-feira, dia 19, na chácara do vice-prefeito Garça, para um jantar comemorativo  aos 100 primeiros dias da atual administração. Dos 10 vereadores, 9 estiveram lá —Pintinho (PRB), Bismark (PSDB), Chico do Cartório (PMDB), Delei (PPS), Macetão (PP), Topete (DEM), Kazuto (PSB), Tiquinho (PSD) e Zanetoni (PSB). Tiago Abra (PP) justificou ao anfitrião Garça que tinha compromissos particulares anteriormente agendados. 

SÍNDICO – Quando os publicitários Saulo Nunes e Igor Freitas, da Agência Preview, que serve à Prefeitura, chegaram no meio do jantar, o primeiro estranhou a ausência do prefeito Flá. O secretário de Administração, Chico Melfi, explicou que o prefeito, que já estivera na chácara e dera entrevista coletiva, teve que deixar o recinto para participar da procissão de entrada, carregando a bandeira do município, na missa em louvor a Santo Expedito, no bairro do mesmo nome. Não faltou um gozador para comparar o prefeito ao saudoso cantor Tim Maia, que marcava os shows, mas não aparecia... 

SANGUE NOVO – O professor Luís Fernando  Rosalino é o novo presidente do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores. Ele foi eleito domingo , dia 16,  através do PED (Programa de Eleições Diretas).A coluna apurou que , dos 413 filiados, 123 compareceram à Câmara Municipal, local do pleito,  o que corresponde a 30% dos inscritos. 

ESCALADA  - Rosalino, formado em Geografia pela Unesp-Presidente Prudente, com mestrado no currículo, estreou na urna em 2012.Puxado pela altissonante   votação de Pérola Cardoso (1347 votos), primeira colocada do PT e segunda na classificação geral, Rosalino obteve 320 votos e conseguiu a segunda vaga. De espírito combativo, usou a tribuna, envolveu-se em polêmicas, participou de Comissões Especiais de Inquérito, enfim, mostrou serviço. Curiosamente.  em 2016, embora tivesse aumentado a votação em quase 100% (598 votos), ele  não se reelegeu, ficando como 1º suplente da coligação PP-PT.   

LADEIRA ABAIXO- Voltando ao quorum da eleição interna do PT,  a participação de filiados paulistas , em cerca de 300 municípios, despencou em relação ao pleito de 2013. Segundo a jornalista Mônica Bergamo, titular de uma página inteira diária  na Folha de S. Paulo, naquele ano, 82 mil petistas votaram no Estado; há uma semana, apenas 46 mil militantes foram às urnas, de um total de 338 mil após a participar.

MÁ FASE – Ainda de acordo com a página de Mônica Bergamo, em Araraquara. cidade administrada pelo petista Edinho Silva, ex-ministro da presidente Dilma e tesoureiro da campanha da reeleição, só 121 filiados apareceram para votar, de um total de 1270 inscritos no colégio eleitoral. Ou seja, menos que em Jales.E mais: em São Bernardo do Campo, berço do PT , cidade administrada durante oito anos pelo ex-ministro Luís Marinho e onde Lula mora, dos 7.619 filiados apareceram para votar apenas 1.619.

NOSSO CHÃO – Os comunicadores Fábio Silvério e Rogério Avéqui, hoje na Nativa FM, aproveitaram a semana que antecedeu o aniversário da cidade para entrevistar personalidades que tinham alguma coisa de interessante para contar aos ouvintes ou expressar suas opiniões sobre o futuro próximo. Consta que os depoimentos sensibilizaram o público.
  
REGRA TRÊS- O vereador João Pedro Siqueira (PTB) resolveu  botar fogo  no circo, informa o jornal Cidadão, de Fernandópolis. Exercendo seu primeiro mandato, ele propôs, na última sessão,  a redução do salário dos  vereadores e que funcionário público se afaste do emprego para assumir a Câmara. Mas,   a mais polêmica proposta do novato é que seja dado aos suplentes a oportunidade de assumir a cadeira dos titulares de uma a duas vezes por ano. Se tal regra fosse aprovada em Jales, já estariam no aquecimento, entre outros, suplentes como Junior Rodrigues (PSB), Jesus Batista (DEM), Luís Rosalino (PT), Ricardo Junqueira (PPS), Jediel Zacarias (PMDB).