quarta 23 setembro 2020
Arquibancada

Tiago Nunes e a mudança de estilo

Fazendo campanha decepcionante no Campeonato Brasileiro e longe de apresentar bom futebol, o Corinthians resolveu apostar alto e anunciou Tiago Nunes como treinador para a temporada 2020. Campeão da Copa Sul-Americana e da Copa do Brasil, o maior técnico da história do Athletico-PR chega como substituto de Fábio Carille com a missão de mudar o estilo de jogo implantado desde 2008 e responsável pelo ciclo mais vitorioso da história do clube.
Ao contrário de Carille, Tite e Mano Menezes, os três maiores vencedores do Timão nesses 12 anos, o novo comandante se destacou apresentando futebol com características raras de ser vista no Brasil nos últimos tempos. Busca incessante pelo gol, intensidade, muita velocidade pelos lados do campo e construção de jogo desde o sistema defensivo. Essas são algumas características do treinador que certamente ele tentará implantar no Corinthians.
Outro ponto que chama atenção no trabalho de Tiago Nunes é o aproveitamento de jogadores das categorias de base. No Athletico o técnico comandava o sub-23 até o início de 2018. Campeão paranaense, recebeu oportunidade após a saída de Fernando Diniz e, nessa transição, descobriu atletas como Renan Lodi e Bruno Guimarães, fundamentais nos grandes momentos do Furacão e com potencial para brilhar na seleção brasileira.
No Corinthians, esse também será mais um desafio para o treinador. Com déficit de R$ 170 milhões em 2019, a tendência é que o próximo ano não seja de grandes investimentos e a necessidade de aproveitar jovens é clara. 
Pensando em reforços, Pedro Henrique e Camacho, emprestados ao Athletico, conhecem o comandante e devem voltar ao Alvinegro. Além disso, Marcelo Cirino também vem sendo especulado e pode ser uma novidade. Velocista, o atacante se encaixa na proposta de jogo do técnico e vem fazendo boa temporada no clube paranaense.
O casamento entre Tiago Nunes e Corinthians tem tudo para dar certo, mas a paciência será o ponto chave para o sucesso do trabalho. Uma mudança radical de estilo de jogo precisa de tempo para ser consolidada e a exigência por grandes resultados e um belo futebol logo de cara, não pode acontecer.
Com tempo e condições para realizar o trabalho do seu jeito, o técnico tem tudo para fazer o Timão voltar a jogar bem, disputar títulos e, quem sabe, até fazer história no clube brasileiro mais vencedor da década.

Eduardo Martins 
 (jalesense, aluno do 3° ano de jornalismo da PUC-Campinas) 
Desenvolvido por Enzo Nagata