jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

“TEMOS QUE REVOGAR ESSA REFORMA TRABALHISTA”

Candidato ao senado pelo PDT, o líder sindical Antonio Neto diz que lutará pela revisão da reforma, que considera ter 8 oito falhas graves, e afirma que a nova legislação erra ao precarizar o salário.
01 de outubro de 2018
Antonio Neto, fala sobre o tema da Reforma Trabalhista

Facilitar o trabalho de mulheres grávidas em ambientes insalubres é só uma das violações à Constituição que a reforma trabalhista, proposta pelo governo Temer e aprovada em 2017, comete. Uma reforma efetiva teria de garantir os direitos do trabalhador e não violá-los. A avaliação quem faz é o candidato do PDT ao Senado Federal por São Paulo, Antônio Neto. O líder sindical, presidente licenciado da Central do Sindicatos Brasileiros (CSB), defende a revogação da reforma tal como foi aprovada. Ele acredita que a nova legislação erra ao precarizar ao trabalho e diz que, se eleito, lutará pela sua revisão no Senado.

Segundo Antônio Neto, a volta ao ciclo econômico virtuoso passa pela retomada de obras paradas pela operação Lava Jato e por renegociar a dívida pública – que hoje consome 52% do Orçamento da União.

Além disso, a retomada do consumo pelas famílias será um dos principais motores a reativar a economia, e isso por meio do Programa

Nome Limpo, proposto pelo candidato do partido à Presidência da

República, Ciro Gomes, de tirar o nome de 63 milhões de pessoas do SPC

(Serviço de Proteção ao Crédito).

 

No que essa Reforma Trabalhista erra, da forma como ela está hoje?

Antônio Neto - Além de ter sido aprovada em um tempo recorde, a Reforma tem várias

inconstitucionalidades.  Quebrou conceitos constitucionais. Essa

reforma desrespeita convenções da OIT (Organização Internacional do

Trabalho).

 

E o que uma reforma dessa precisaria ter?

Antônio Neto - Começando por respeitar a Constituição. E depois precisaria ter a garantia do direito dos trabalhadores, e não precarizar o trabalho.

Erra muito aquele que acha que precarizando o trabalho, o salário, vai conseguir bons produtos. Se você não tem salário, não tem poder de compra – e aí não tem mercado. O Brasil é um grande mercado, e se tivermos um nível de renda bastante bom, é possível ter uma economia em um ciclo virtuoso.

 

E o que fazer para o brasil voltar a esse ciclo virtuoso?

Antônio Neto - Primeiro, temos que fazer uma boa análise de como é o Orçamento da

União; hoje, 52% dele é comprometido com o pagamento da dívida. O que nós precisamos fazer é ver como equalizamos a questão da dívida, porque ela está crescendo e daqui a pouco se tornará incontrolável.

Segundo, retomar as obras paradas; a partir da Lava Jato foram paralisadas todas as obras de infraestrutura do Brasil. E com isso começa-se a gerar emprego na base da pirâmide, na construção civil, sem que haja necessidade de grandes treinamentos.