jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

SUANDO A CAMISA - O ex-deputado federal Jilmar Tatto, vice-presidente do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores, ex-secretário de Transportes da Prefeitura de São Paulo na administração Fernando Haddad e pré-candidato a senador ao lado de Eduardo Suplicy, visitou a redação do Jornal de Jale

Fique Sabendo
20 de maio de 2018
Jilmar Tatto, candidato a senador pelo PT, na redação do Jornal de Jales: “O Lula é o nosso candidato”
SUANDO A CAMISA - O ex-deputado federal Jilmar Tatto, vice-presidente do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores, ex-secretário de Transportes da Prefeitura de São Paulo na administração Fernando Haddad e pré-candidato a senador ao lado de Eduardo Suplicy, visitou a redação do Jornal de Jales no início da tarde de quarta-feira, dia 16 de maio.

SAMBA DE UMA NOTA SÓ-  Indagado sobre quem será o candidato do PT na eleição presidencial em face da prisão do ex-presidente Lula, condenado em segunda instância, portanto, inelegível segundo a Lei da Ficha Limpa, Tatto respondeu duas vezes sem se alterar, só desconversando: “nosso candidato é o Lula”. Na terceira vez, ele repetiu a mesma resposta e acrescentou mais uma pitadinha de sal: “o candidato do PT é o Lula e vamos ganhar a eleição”.

SAMBA DE UMA NOTA SÓ (2) – Como   Jilmar Tatto não saia da retranca, o comentarista tentou levá-lo para o canto, indagando se Fernando Haddad, seu ex-chefe na Prefeitura de São Paulo, poderia ser o plano B do PT para a presidência da República, Tatto esquivou-se novamente, mas não saiu do lugar: “o Fernando Haddad foi um bom prefeito em São Paulo”.

PEGADINHA- Desligado o gravador, Jilmar Tatto comentou, entre risos: “percebi onde você queria chegar, mas se eu digo que o PT tem plano B para o Lula e a declaração sai na edição online do seu jornal, acaba viralizando nas redes sociais e vira notícia até no Jornal Nacional”. 

DONOS DO PEDAÇO- Segundo a grande imprensa, a família Tatto domina a zona sul de São Paulo, tendo sob controle um eleitorado fiel. Jilmar teve 250 mil votos para deputado federal na última edição que disputou. Outros três irmãos são detentores de mandato: Enio (deputado estadual), Arselino e Jair (vereadores na capital). Registre-se que Arselino já foi eleito nove vezes.

TRIPLEX – Por falar em Lula, Irineu Amadeu, o Cabelinho, homem de negócios de muita bala ($$$), e Osvaldo Costa Junior, o Bixiga, dono da BX Eventos, que tem bom faro para ganhar dinheiro, tentaram comprar o recinto da Facip pertencente à Unimed de Jales e perderam no olho mecânico para três empresários de Santa Fé do Sul. Só que poderiam ter dado a volta por cima e, de quebra, ir para o noticiário nacional. 

TRIPLEX1 - Na última terça-feira, dia 15 de maio, um empresário de Brasília, Fernando Gontijo, arrematou o triplex supostamente de propriedade do ex-presidente Lula, no condomínio Solaris, na praia das Astúrias, no Guarujá, mandando um lance no leilão virtual aos 45 do segundo tempo, de R$ 2 milhões e 200 mil, valor mínimo estipulado no edital.  Ou seja, ele ofereceu pelo triplex R$ 1milhão a menos do que Cabelinho e Bixiga estavam dispostos a pagar pelo Recinto de Exposições Juvenal Giraldelli, exatamente R$ 3 milhões e 249 mil.  

TÕ FORA – A assessoria de imprensa de Bruno e Marrone, que se apresentaram em show beneficente 4ª feira, dia 15 de maio, para o Hospital de Amor, solicitou que cada órgão da mídia impressa de Jales fizesse duas perguntas que seriam respondidas pelos cantores via email. O J.J. mandou as suas, mas ambas não foram respondidas. Uma era saber qual o perfil que eles achavam ideal para candidatos a presidente da República. Resposta: a dupla não fala sobre política. A outra pergunta era se eles tinham alguma música temática em relação à Copa do Mundo. Segundo os assessores, eles não entenderam a pergunta.

PROFISSIONALISMO- Há exatamente um mês, em 21 de abril, as redes sociais bombaram com a divulgação de áudio do cantor Bruno reclamando das más condições do camarim que lhe foi destinado pela direção do Rodeio Show. Os internautas reagiram com ataques pesados ao cantor, dizendo que ele teria falado o que falou porque, no mínimo, estaria “chapado”. 

PROFISSIONALISMO (2)- Na verdade, pode ter sido uma falsa impressão porque, historicamente, o cantor sempre se portou com muita correção em Jales. Em 2001, por exemplo, Bruno e Marrone, que estavam explodindo em todas as paradas de sucessos e vendendo CDs aos milhares, mostraram que respeitam o público. O início do show estava marcado para as 23 horas no palco da Facip. Pontualmente, eles começaram a cantar. Foi aí que o então presidente da Facip, Edmilson Lazzaro, percebeu que ainda tinha muita gente na fila para entrar. Para salvaguardar o direito de quem tinha comprado ingresso, Edmilson saiu do camarote, subiu as escadas que dão acesso ao palco e exigiu do empresário que o show fosse interrompido e só começasse depois que todo mundo tivesse entrado. O recado chegou aos cantores que, humildemente, pediram desculpas ao público, foram para os camarins e, só depois que todos tinham entrado, começaram o show novamente inclusive cantando as três músicas que já tinham interpretado antes da paralisação.