jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Sindicato faz campanha de alimentos para servidores de Dolcinópolis em greve

O presidente do sindicato, José Luiz Francisco informou que uma parte dos servidores não recebe seus salários desde junho.
01 de outubro de 2016
Parte dos servidores de Dolcinópolis entrou em greve na última terça-feira
O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Jales e Região está realizando uma campanha em Jales e Santa Fé do Sul para arrecadação de alimentos para os funcionários da Prefeitura de Dolcinópolis, em greve desde o dia 27 de setembro, terça-feira. 
O presidente do sindicato, José Luiz Francisco informou que uma parte dos servidores não recebe seus salários desde junho, sendo que apenas cerca de 20% receberam o salário referente a julho e ninguém recebeu o de agosto. 
Para tentar amenizar a situação crítica vivida pelos funcionários, o sindicato está dando uma assistência no café da manhã, com pão, manteiga, suco, leite e café e já arrecadou 35 cestas básicas. Mais ou menos metade dos cerca de 180 servidores do município está parada, segundo o sindicalista.

MINISTÉRIO PÚBLICO
No dia 29 de setembro, quinta-feira, o Ministério Público de Estrela d’Oeste distribuiu nota informando que “tem acompanhado o atual quadro de desorganização administrativa do município com falhas na prestação de serviços públicos na esfera da rede de proteção, falta de repasses na área da saúde, desajuste na organização do quadro de pessoal e, mais recentemente, o cumprimento parcial da folha de pagamento”.
O Ministério Público informa ainda que “o acompanhamento tem se dado através de instauração de inquéritos civis e ajuizamento de ações civis públicas por ato de improbidade administrativa em face do atual mandatário e de outros supostamente envolvidos”.

INVESTIGAÇÕES
A nota afirma ainda que “a atual situação decorre de um conjunto de ações adotadas pela administração vigente cuja regularidade/licitude é alvo de investigações do Ministério Público que atua de maneira impessoal com o objetivo de tutelar o patrimônio público e a probidade na gestão, além de outros interesses sociais indisponíveis”.
O Ministério Público informa que “acolhendo em parte representação formulada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais foi instaurado procedimento para investigar eventual omissão dolosa no atraso de pagamento de funcionários sob ótica da lei de improbidade administrativa, sendo que as medidas de caráter trabalhista individual serão adotadas diretamente pelo sindicato da classe”.