jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Show de humor arranca altas gargalhadas

“O João Plenário se tornou um personagem extremamente popular. Ele é fruto de observação do cenário da política brasileira”, diz Saulo Laranjeira
03 de março de 2019
O personagem mais esperado da noite, o Deputado João Plenário fez valer a pena a ida no Teatro Municipal fechando com chave de ouro
Bruno Gabaldi
O último sábado de fevereiro, dia 23, foi marcado por risadas e aplausos que fizeram parte do espetáculo do humorista referência no Brasil, Saulo Laranjeira, mais conhecido como “o mestre do riso” exibindo seus personagens em um show descontraído no Teatro Municipal de Jales.
Segundo a organização, parte dos valores arrecadados foi revertida para o Hospital de Amor – Unidade de Jales como ação concreta.
O show de humor contou com apresentações dos personagens incorporados por Saulo como o Maestro Sabiá, Kellé Metaleiro, Caipira Geraldinho, Benzedeira Véia Messina e o conhecido e mais esperado pelo público, João Plenário. Além de humorista, o artista é ator, apresentador, narrador, compositor e vários outros sucessos.

J.J. Os personagens que hoje você faz nasceram de fatos reais?
Saulo Laranjeira – A maioria deles foram pessoas que existiram que eu tive a oportunidade de conviver e com o tempo a gente vai elaborando cada vez mais o discurso deles, o texto, a filosofia de cada um, vai aprimorando, mas a maioria eu tive um convívio direto na minha infância ou na minha adolescência ou até mesmo nos dias atuais.

J.J. Além das performances de Zé Roberto, Kellé Metaleiro e outros, o personagem João Plenário tem uma forma especial que o público mais se referência. De onde surgiu a ideia de criar este personagem?
Saulo Laranjeira – O João Plenário se tornou um personagem extremamente popular porque a “Praça é Nossa” tem uma audiência muito grande, é vista no Brasil inteiro há muitos anos. Ele é fruto de observação do cenário da política brasileira. O político brasileiro ele é muito caricato, tem expressões e características muito diferenciadas em cada região pela diversidade cultural existente no país. É fruto dessa observação dos cenários políticos demagógicos, populistas, histriônicos. Foi observando essa classe política que o João Plenário foi aos poucos sendo elaborado.

J.J. Qual o objetivo de trazer estas apresentações aqui no interior?
Saulo Laranjeira – O objetivo é de continuar minha missão e divulgar a cultura brasileira por intermédio da música, arte, humor, o que eu faço a minha vida inteira há mais de 40 anos. É o propósito de contar às pessoas, de passar essa mensagem de alegria e ao mesmo tempo de emoção. É a nossa missão natural, espontânea e viajar sempre que possível pelo Brasil a fora. Eu moro em Belo Horizonte/MG, mas viajo sempre pelo Brasil levando esse fim de divertir as pessoas.

J.J. Saulo, você é um excelente humorista, mas também é um ótimo ator. Como foi a experiência que teve atuando na novela “Velho Chico” da Rede Globo em que fez o personagem prefeito Raimundo?
Saulo Laranjeira – Experiência maravilhosa. Eu já estava há muitos anos na “Praça é Nossa” e quando surgiu essa oportunidade e a novela com um tema muito interessante porque eu transito nesse ambiente da cultura regional como foi o caso da novela, pela questão ecológica também, tudo isso me interessa muito e aí o Carlos Alberto compreendeu esse meu compromisso com esses temas, aceitou minha saída e fiquei lá um ano e pouco fazendo a novela. Uma experiência extraordinária com um personagem corrupto também e de certa forma engraçado, mas nem tanto, quer dizer, eu não podia ter a mesma cara do João Plenário, então foi um desafio muito legal. Foi muito bacana, contracenei com grandes atores e atrizes. Já voltei pra praça e agora continuo fazendo filmes, terminei agora de fazer algumas filmagens lá no Rio de Janeiro onde estou participando do filme do Paulinho Gogó. Também fiz com o Marcos Veras uma outra comédia o ano passado que a qualquer momento vai estrear nos cinemas e venho sempre fazendo alguma coisa em cinema e para mim sempre é uma grande alegria.

Fotos: Bruno Gabaldi