sexta 05 junho 2020
Editorial

Servidores públicos mobilizam-se por escritório regional do Iamspe

Ainda de acordo com a noticia, a conquista se dera graças a antiga reivindicação do vereador Mehde Meidão Kanso, atual presidente da Câmara Municipal. Agora respaldado pelo prefeito Junior Marão, deputado Carlão Pignatari e secretário de Gestão Pública Júlio Semeghini, todos do PSDB, o veterano  edil votuporanguense logrou êxito em sua luta.
A matéria era o que faltava para colocar em pé de guerra os servidores públicos  estaduais de Jales e região, que recolhem contribuições ao Iamspe sem a contrapartida do serviço prestado. 
O tratamento dispensado pelo  Instituto aos servidores jalesenses é simplesmente abaixo da critica,  desumano até. Para não ir muito longe, basta lembrar  que as guias para exames de laboratório esgotam-se no segundo dia do mês.
Inconformados com os maus tratos, representantes de servidores  do Judiciário, Educação, Polícia Civil e DER resolveram se mobilizar, sob a coordenação de Flávio de Carvalho, serventuário da justiça, para  tentar virar o jogo,recorrendo a quem deveriam fazê-lo — a deputada estadual Analice Fernandes (PSDB), nascida e criada em Jales, mais votada no município nas últimas três eleições.
O encontro foi realizado no salão do júri do fórum de Jales, dia 25, quinta-feira, ao longo do qual alguns dos presentes narraram  à deputada fatos estarrecedores que revelam o absoluto descaso da cúpula do Iamspe  em relação à saúde dos usuários daquele sistema.
Impressionada com o que ouviu, Analice se comprometeu a agendar encontro dela e de representantes dos vários setores do funcionalismo público a fim de que eles, de viva voz, olhando nos olhos, relatem ao superintendente do Iamspe o que anda acontecendo no entorno de Jales.
Na verdade, está chegando a hora de desatar este nó cego. A instalação de um posto  regional do Iamspe, então denominado Ceama, foi reivindicada pela primeira vez em meados dos anos 80 pela vereadora Esmarlei Henrique de Carvalho Melfi, também  coordenadora da Apeoesp.
Em 1998, nova investida no mesmo sentido, desta  vez liderada pelo professor João Luiz Sene,   delegado de ensino, que colheu milhares de assinaturas.
Agora, é o momento de retomar a luta com vigor redobrado. Afinal, até quando funcionário público continuará sendo tratado como gado?

Desenvolvido por Enzo Nagata