jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

SEMPRE quando se fala em alterações de sistemas de funcionamento de prestação de serviços públicos, principalmente na área de atendimento, as questões que surgem se relacionam basicamente às dificuldades de adaptação, esclarecimentos e às reações normais quando alguma coisa deixa de ser como era ant

Contexto
07 de julho de 2019
SEMPRE
quando se fala em alterações de sistemas de funcionamento de prestação de serviços públicos, principalmente na área de atendimento, as questões que surgem se relacionam basicamente às dificuldades de adaptação, esclarecimentos e às reações normais quando alguma coisa deixa de ser como era antes.

NO COMEÇO
do mês, o provedor da Santa Casa, Júnior Ferreira, convocou a imprensa para  explicar como seria o novo sistema de acesso ao interior do hospital com cadastramento de cada pessoa para receber o cartão e poder entrar pelas catracas.

ESSA
preocupação do provedor era mais do que natural e ele não negava que no início poderia enfrentar dificuldades até as pessoas se acostumarem, mesmo colocando alguns funcionários para fazer o trabalho de recepção e esclarecimento ao público de como seria o novo serviço.

PROCURANDO
amenizar essa situação de possíveis desentendimentos, o provedor aproveitou o momento com a imprensa para dar detalhes e falar dos benefícios que essa mudança traria para os pacientes, para os familiares e para a própria equipe do hospital, inclusive oferecendo mais segurança e evitando o acúmulo de pessoas nos quartos, nos horários de visitas, como vinha acontecendo justamente por essa falta de controle mais adequado. 
 
PASSADOS
mais de 15 dias do início do novo sistema, inaugurado no dia 17 de junho, a surpresa ficou por conta  da tranquilidade com que a mudança aconteceu, sem qualquer transtorno ou reação agressiva, mas apenas com algumas reclamações de pessoas que depois, na maioria das vezes, acabavam até elogiando a facilidade com que o acesso era permitido.

MUITAS
pessoas, inclusive a própria chefia do hospital estavam preocupadas com a formação de filas que poderiam causar transtornos e reclamações, mas isso também não aconteceu, pois o sistema, tanto de cadastramento quanto de acesso é muito rápido e mesmo com várias pessoas querendo entrar, não existe reclamação pois nas poucas vezes em que se formam filas, todos ficam tranquilos, aguardando sua vez.

ESSA
tranquilidade em um local como um hospital movimentado como a Santa Casa não deixa de surpreender, mas acredita-se que além de funcionários e estagiários  prontos para darem explicações, o que ajudou foi o próprio sistema que funciona sem burocracia, não deixando dúvidas para os usuários, mostrando que uma boa administração sempre dá resultados positivos, mesmo em situações como essa. (Luiz Ramires)