jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

SE POR UM LADO a expectativa de um futuro melhor passa pela mudança de governo, em nível federal, refletindo em todo o país e desaguando também em Jales, por outro ...

Contexto
06 de janeiro de 2019
SE POR UM LADO 
a expectativa de um futuro melhor passa pela mudança de governo, em nível federal, refletindo em todo o país e desaguando também em Jales, por outro, a economia regional e do município depende de alguns fatores que vão se ajustando criando um ambiente senão de otimismo, pelo menos de esperança em um ano menos complicado.

É UM CLIMA 
que podemos sentir na cabeça de um grupo de empresários e consultores de empresas, alguns dos quais foram ouvidos pelo Jornal de Jales, em uma reportagem especial sobre as perspectivas para o ano que está começando. O objetivo é dar a nossa contribuição, por pequena que pareça, mas que pode despertar para uma discussão em torno do que poderá ser feito a fim de dar um passo a mais no nosso desenvolvimento.

É LÓGICO
que pelo passado recente do país não se pode esperar muito em termos econômicos que acabem refletindo diretamente na melhoria das condições de vida da população, mas pode ser um começo, uma reversão que no longo prazo chegue a resultados positivos.

QUANDO
se fala em qualidade de vida da população, no atendimento de saúde, educação e serviços, a fatura é cobrada das administrações, começando pela federal, passando pelo estado e chegando ao município que sempre acaba sendo o mais cobrado pelo fato de estar mais perto das pessoas.

MAS SÃO
as empresas as  principais responsáveis pelo equilíbrio das contas das famílias, gerando empregos, procurando sempre melhorar os salários e benefícios que possam ser oferecidos aos seus colaboradores quando os donos e administradores têm como princípio o resultado social de todo o seu esforço.

DAÍ A IMPORTÂNCIA
de ouvirmos o que pensam esses personagens e com que perspectivas começam a planejar 2019, para chegarmos em 2020 podendo exibir números bem melhores do que foram alcançados nos últimos anos, também na economia regional. Estamos torcendo. (Luiz Ramires)