jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Sacolas plásticas, retornáveis ou biodegradáveis, cobrança ilegal

As sacolas plásticas foram retiradas dos supermercados depois de um acordo firmado entre o Governo do Estado e esses estabelecimentos.
08 de fevereiro de 2012

 

As sacolas plásticas foram retiradas dos supermercados depois de um acordo firmado entre o Governo do Estado e esses estabelecimentos. A medida chamada de “Ecologicamente Correta”, não deixa dúvida de que seja plausível, e a mãe natureza agradece. 
Porém algo de interessante vem acontecendo. O Idec e o Procon de São Paulo fizeram uma recomendação de que os supermercados coloquem à disposição dos seus clientes, o meio alternativo e gratuito de levarem as suas compras para casa, no mínimo caixas de papelão, o que aqui em Jales vem faltando. No Brasil todo tipo de lei é criada sem antes que aja um estudo prevendo a contrapartida. 
Vejamos: as sacolas plásticas eram entregues gratuitamente pelos supermercados após você fazer a sua compra. Na verdade os valores das sacolas estão embutidos no preço das mercadorias que você compra no supermercado da sua preferência. Agora as sacolas biodegradáveis, ou sacola retornável são  vendidas pelos supermercados, por dois ou três reais. Como o brasileiro gosta de levar vantagem em tudo, essa cobrança é ILEGAL, por um raciocínio bem lógico. Para que houvesse essa cobrança o preço dos produtos nos supermercados deveriam ter baixado, o que não aconteceu, muito pelo contrário eles continuam com o mesmo preço e sofrendo correção da inflação. As chamadas sacolas retornáveis saem pelo preço de custo em média de cinqüenta centavos, e vem sendo REPASSADA ao consumidor com 200 ou 300% de LUCRO, ou seja, os supermercados vêm ganhando dinheiro em cima de seus clientes com as sacolas biodegradáveis e retornáveis.
Em Jales, o PROCON não tem poder de fiscalização, ou de promover ações contra esses estabelecimentos. 
Então fica a minha pergunta: quem vai fiscalizar e notificar os supermercados de nossa cidade de que essa cobrança é ILEGAL? A princípio entendo que seria o Ministério Publico, porém vamos aguardar para ver o que acontece nos próximos dias.
 
 Betto Mariano
(Motorista de van escolar)