jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Refeição digital

Perspectivas por Caroline Guzzo
29 de outubro de 2017
Caroline Guzzo
Já ouviu aquela expressão “almoço em família”? Resolvi adaptar para refeição digital, que até pode ser em família, mas com o celular ao lado do prato. Falei em almoço, mas isso refere-se a todos os momentos que estamos nos alimentando, não abandonamos o nosso celular nem para ir ao banheiro, imagina para comer. 
É engraçado, porém preocupante, pois onde quer que você esteja a tecnologia parece fazer parte da composição do seu look, você não sai de casa sem. 
Quantas vezes sentei em um restaurante, barzinho, sorveteria, enfim, já vi a família toda no celular, pensei qual o intuito de sair de casa, visto que não há diálogo, o foco é apenas um, o celular (eu faço isso também...rs).
Muito normal ver os pais comendo e para a criança dar sossego deixa o celular na mão para ver um vídeo ou brincar com algum jogo. Meu Deus, onde isso vai parar? Os pais não têm controle sobre a educação dos filhos, mas o celular tem. Não sei como será a minha atitude quando for mãe, mas acho muito feio recorrer a tecnologia para manipular o comportamento da criança em lugares públicos ou até mesmo dentro de casa. 
De acordo com uma pesquisa veiculada pelo Portal do Brasil mais de 100 milhões de brasileiros acessam a internet e o dispositivo mais utilizado pela maioria dos usuários é o celular. E o pior, nosso aparelho é mais sujo que o vaso sanitário e você insiste em deixá-lo em cima da mesa.
Quando meus pais me deram um celular eu estava completando 15 anos e era bem diferente de hoje. Atualmente, crianças de dois anos já tem contato com essa tecnologia. Não sei se poderíamos dizer que isso é bom, dado que na minha época brincávamos mais na rua, tínhamos os amiguinhos que iam em casa e hoje os pequeninos se individualizam desde cedo para ficar no celular. As pessoas pararam de conversar umas com as outras, porém você fala com quem precisa em qualquer lugar do mundo. É uma incógnita, se é bom ou não a gente não consegue mais desgrudar dessa tecnologia digital, mas vale a pena revermos as nossas condutas. 
Desafio você a sair de casa com sua família e praticar o diálogo, aposto que ficarão sem assunto, pois já estamos tão dependentes que não conseguimos interagir uns com os outros. Fiquei umas cinco horas sem celular no fim de semana, pois onde estava não funcionava, sabe a impressão que eu tive? A hora não passava de jeito nenhum. Ai que vício. Vamos por limites, a internet é fantástica, você procura tudo o que precisa, mas não podemos ser reféns dela. 

Caroline Guzzo
(é jornalista)
caroline-guzzo@hotmail.com