domingo 20 setembro 2020
Geral

REDES SOCIAIS: Não tem cabimento!

Quanto garoto e jovem plantava arroz com meu pai! Era uma atividade tipicamente vinculada à agricultura familiar camponesa! Nas pequenas cidades na região de Jales (SP) haviam as pequenas máquinas de beneficiamento! Quando difundiu-se o arroz empacotado pelas grandes empresas, a produção familiar foi sufocada, pois uma saca de 60 kg de arroz em casca não equivalia a uma diária de trabalho no campo! A década de 1990 foi fatal para a produção familiar camponesa, estrangulada pelas empresas do agronegócio!

Mas justificar que a variação do preço do arroz (ou qualquer outro alimento) é em decorrência do “fecha tudo” na pandemia não tem cabimento! Planta-se arroz no fim na Primavera, a partir do mês de outubro, passando pelos meses de novembro, dezembro e outono/inverno no Sul!. O ciclo é de aproximadamente de 120 dias (plantio, colheita)! Então, quando começou a pandemia (março/abril), não se poderia plantar arroz!

Portanto, a variação dos preços tem relação com o câmbio, favorecendo as exportações! Por outro lado, os estoques de arroz baixaram nos últimos anos, como pode ser visto no gráfico com os dados da Conab!

PS. NÃO VENHAM COM BOBAGENS, TIPO: E O PETÊ, E O LULA? LEMBREM-SE: NÃO VOU ENCHER O SACO DE NINGUÉM!

Prof. Dr. Sedeval Nardoque

(Doutor em Geografia, Professor do Curso de Graduação e de Pós-Graduação em Geografia, UFMS - CPTL - Três Lagoas – MS)

Desenvolvido por Enzo Nagata