jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

QUE a população tem todo direito de reclamar e reivindicar melhorias no serviço público, quer em nível federal, estadual ou principalmente nos municípios onde residem, disso ninguém duvida.

Contexto
25 de março de 2019
QUE
a população tem todo direito de reclamar e reivindicar melhorias no serviço público, quer em nível federal, estadual ou principalmente nos municípios onde residem, disso ninguém duvida, mesmo porque a comunidade não paga seus impostos pois é boazinha, mas porque quer ver resultados.

SE
por um lado todos têm razão nesse sentido, por outro existem situações que não se justificam ou acabam se complicando simplesmente por omissão nos momentos importantes da vida da comunidade quando são debatidas questões importantes que na maioria das vezes têm seus resultados, bons ou maus, permanecendo por décadas, sem que possam ser modificados. 

UM
exemplo aconteceu no mês passado quando, mais uma vez, menos de 10 pessoas compareceram à audiência pública na Câmara Municipal, quando dois contadores da Prefeitura fizeram uma demonstração do cumprimento das metas fiscais referentes ao terceiro quadrimestre de 2018, dentro do que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal, tão referenciada, mas pouco acompanhada.

PODE
até ser que o assunto não tenha despertado tanto interesse por se referir a uma prestação de contas de quatro meses, mas é o dinheiro do município que está em jogo, embora todos saibam que se fosse essa a razão, outros eventos semelhantes e muito mais importantes como as discussões dos orçamentos municipais para cada ano contariam com uma grande participação da população. 

ASSIM,
não é de se estranhar se, mesmo com o plenário da Câmara vazio na próxima quarta-feira, dia 27, quando haverá audiência pública, muitas pessoas continuem, nos dias seguintes, reclamando na mídia ou nas redes sociais contra os serviços prestados pela empresa responsável pela Zona Azul, sem sequer se darem ao conhecimento do que ficou discutido, ou mesmo decidido na convocação que vem sendo feita para discutir o assunto.

DIZEM
que o projeto não foi discutido com a população antes de ser aprovado por unanimidade, daí a necessidade de uma convocação como essa, para tentar fazer alguns ajustes. Todos sabem que depois do projeto aprovado como foi, a empresa precisa concordar, mas sabem também que nessas situações, quanto mais pressão, mais resultados. Só que não se pode deixar de participar para depois reclamar. (Luiz Ramires)