jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

QUATRO ESTRELAS – Não será surpresa para esta coluna se o vice-prefeito José Devanir Rodrigues tiver seu nome incluído no Diretório Estadual do MDB.

Fique Sabendo
25 de novembro de 2018
João Câmara, do PSDB de raiz, diz que Rodrigo Garcia tem bagagem para ser presidente da República
QUATRO ESTRELAS – Não será surpresa para esta coluna se o vice-prefeito José Devanir Rodrigues tiver seu nome incluído no Diretório Estadual do MDB. O padrinho dele é forte: deputado federal Baleia Rossi, presidente do partido em nível estadual e líder da bancada federal. Contam a favor de Garça, entre outros pontos positivos, o fato de que ele é filiado ao partido desde 1968, quando mal tinha completado 18 anos, e nunca ter mudado de sigla ao sabor dos ventos. 

UMA MÃO ... - Garça foi apresentado a Baleia Rossi pelo jalesense Jarbas Zuri Junior, amigo e companheiro dos dois. A aproximação entre o deputado e o vice-prefeito rendeu para o município de Jales  emenda parlamentar no valor de R$ 1 milhão e 250 mil para serem investidos na revitalização da Praça Dr. Euphly Jalles. 

 ... LAVA A OUTRA – A coluna apurou também que Baleia Rossi ficou muito bem impressionado com o esforço que o vice-prefeito fez para aproximá-lo de prefeitos e vereadores do MDB da região, além de se empenhar na campanha em nível local, o que resultou em 985 votos na eleição de 7 de outubro. Quatro anos antes, o parlamentar não tinha passado de 60 votos. 

PONTO FUTURO – “Esse Rodrigo Garcia ainda vai ser presidente da República”. A frase não é do prefeito jalesense Flávio Prandi Franco nem tampouco dos seus colegas Ademir Maschio (Santa Fé do Sul) e André Pessutto (Fernandópolis), todos filiados ao Democratas, mas de alguém que não tem nada a ver com o DEM.

PONTO FUTURO (2)- A profecia saiu da boca de João Câmara, um tucano de raiz, filiado ao PSDB de São Paulo desde os primórdios do partido. Câmara, que tem boas relações com tucanos de vistosa plumagem como o ex-governador Geraldo Alckmin, suou a camisa na campanha de João Dória, o que lhe permitiu conviver diariamente com o candidato a vice-governador.  Ele qualificou Rodrigo como um político “focado, organizado, equilibrado, com capacidade de liderança, visão de conjunto e muito educado” E acrescentou: “o Rodrigo teve participação decisiva    na vitória do Dória”.

PAPO RETO – As observações do tucano João Câmara sobre o vice-governador eleito têm peso por dois motivos: 1) ele não ocupa nem pretende ocupar cargos no governo, atuando na iniciativa privada; 2) as opiniões foram dadas a alguém que não tem nada a ver com PSDB ou DEM: o jalesense Jarbas Zuri, membro da Comissão Executiva Estadual do MDB.

PARALELAS- Além da disputa pelo comando da OAB de Jales entre a Chapa 1, presidida por Ana Maria Garcia Silva, e a Chapa 2, liderada por Marlon Livramento, candidato à reeleição, o pleito de quinta-feira, dia 29, tem outros condimentos que ajudam a elevar a temperatura. Em nível estadual, por exemplo, Aislan de Queiroga Trigo, ex-presidente da OAB de Jales, é candidato a secretário-geral na chapa de Caio Augusto Silva Santos. Também estão na Chapa 11 mais dois advogados da região, ambos candidatos ao Conselho Seccional —José Caxixa (General Salgado) e Fernando Rocha (Votuporanga).

PARALELAS (2) – Por outro lado, integram a chapa 12, do atual presidente Marcos da Costa, candidato à reeleição, os conselheiros seccionais Carlos Alberto Brito Neto (Jales) e Antonio Sequini (São João das Duas Pontes), que já estão na função.  E tem mais: a Chapa 16, de Sergei Cobra Arbex, também tem jalesense na disputa. Carlos Eduardo Gomes Callado Moraes, o Cadinho, é candidato ao Conselho Seccional.

MEMÓRIA - A OAB instalou sua subsede em Jales em 1977. O primeiro presidente foi o advogado Lair Seixas Vieira, hoje com 89 anos, mas ainda na ativa finalizando suas últimas demandas. O dr. Lair foi reeleito por mais três mandatos ficando na presidência até 1985. Na época, um dos elogios que se fazia a ele era a defesa intransigente das prerrogativas dos advogados inclusive enfrentando juízes de viés autoritário Quando um deles deixou a comarca, houve até foguetório.

MEMÓRIA (2) – A disputa mais acirrada pelo comando da OAB jalesense se deu em 1985. De um lado, o consagrado Laurindo Novaes Neto. De outro, o então novato Wanderley Garcia. Mal comparando, parecia eleição municipal. Como o resultado era incerto, houve ampla mobilização, a ponto de Sérgio Manoel Zanin, inscrito na OAB de Jales, mas exercendo funções governamentais em São Paulo, ter desembarcado no aeroporto local meia hora antes do fechamento das urnas para votar em Wanderley. Resumo da ópera: Wanderley venceu por sete votos e presidiu a Subseção até 1987.