jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

QUANDO termina o período das chuvas fica o rescaldo dos danos provocados por enchentes, desabamentos e outras situações de prejuízos e constrangimentos para muitas famílias, por conta de diferentes tipos de problemas que as águas podem acarretar.

Contexto
26 de maio de 2019
QUANDO
termina o período das chuvas fica o rescaldo dos danos provocados por enchentes, desabamentos e outras situações de prejuízos e constrangimentos para muitas famílias, por conta de diferentes tipos de problemas que as águas podem acarretar.

NORMALMENTE
é isso que acontece em quase todos os cantos das cidades, nas áreas mais sensíveis a esse tipo de  problema que acabam provocando danos às famílias vítimas de tais acidentes, muitas vezes previsíveis por conta do excesso das chuvas em determinadas épocas do ano.

ESSAS
enchentes nas grandes e pequenas cidades também são um problema que se agrava a cada ano em função das áreas verdes cada vez menores que impedem a infiltração da água da chuva, fazendo com que o solo impermeabilizado e as galerias entupidas acabem transtornando milhares de famílias em todo o país. 

POR AQUI 
os problemas são infinitamente menores mas não deixam de incomodar algumas famílias atingidas por  enchentes ou lama, como alguns casos registrados  ultimamente que foram notícias ou que vem acontecendo há mais de 20 anos, como o episódio registrado no JACB onde uma moradora  luta na justiça pelo o direito uma indenização pela Prefeitura e pelo DER (Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de São Paulo).

ELA
decidiu apelar pelo fato da sua casa ter sido invadida pelas águas das galerias que transbordaram na marginal daquele bairro, ao lado da Rodovia Jarbas de Moraes, sendo que este ano o fato voltou a acontecer quando ela resolveu lutar pelos seus direitos. (Ver matéria nesta edição).

SITUAÇÃO
parecida é de outra senhora que ganhou na justiça a reforma de sua casa, no Jardim Alvorada, pela Prefeitura e pela Coelho Engenharia, construtora do Jardim Nova Jales II, que já está sendo indenizada em R$10 mil, relacionados aos danos causados em sua residência em 2017.

SE
todos recorressem quando esse tipo de problema ocorre, os prejuízos para os cofres públicos certamente seriam bem maiores, mas não deixa de ser um direito de todo cidadão que vê sua casa danificada por conta de acontecimentos dessa natureza. (LR)