jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Projeto que cria novos cargos é aprovado com 8 votos na Câmara

Os votos contrários foram de Tiago Abra (PP) e Chico do Cartório (PMDB).
02 de julho de 2017
Vereador Tiago Abra: os novos cargos vão aumentar as despesas da Prefeitura
Com os votos contrários de Tiago Abra (PP) e Chico do Cartório (PMDB), a Câmara de Jales aprovou, na última sessão ordinária, dia 26 de junho, segunda-feira, o Projeto de Lei Complementar nº 6 que cria 16 cargos de confiança na Prefeitura. O cargo com maior remuneração é o de subprocurador, com salário de R$ 7,4 mil. Os demais são 9 cargos de diretor, com salário de R$ 3 mil e 6 de chefe, com salário de R$ 1,5 mil. Ao mesmo tempo em que cria os novos cargos o projeto prevê a extinção de outros 31, dos quais apenas 11 estariam sendo ocupados atualmente.
O vereador Tiago Abra disse que votou contra o projeto porque os 16 cargos vão custar mais que o dobro dos 11 que estavam sendo ocupados. Ele acredita que se o prefeito Flávio Prandi Franco está criando os novos cargos é porque pretende preencher os mesmos.
Tiago afirma que o correto seria fazer concurso e não criar cargo comissionado que não contribui para o Instituto de Previdência Municipal, sendo que alguns deverão ser apenas para atender os companheiros. Outra preocupação de Tiago é que o prefeito tem quatro meses para verificar o problema dos servidores que tiveram suas portarias extintas e a criação desses novos cargos teria que se adequar a essa situação.
O vereador Luís Rosalino (PT) defendeu o projeto afirmando que não apoia a criação de novos cargos, mas nesse caso trata-se da readequação solicitada com a participação do Ministério Público Estadual e as administrações municipais atual e anterior. A criação do cargo de subprocurador, por exemplo, foi sugerida pelo MP, segundo o vereador, lembrando que a nomeação do servidor deverá acontecer entre os procuradores concursados da Prefeitura.
Rosalino afirmou que os 11 servidores que ocupam os cargos que serão extintos não perderão o emprego porque já prestam serviços para o município nas suas respectivas áreas. Ele também destacou que os cargos que estão sendo criados não vão custar mais para o município, pois são cargos com salários abaixo dos que já existem e já com as funções definidas para cada ocupante.