Arquibancada

Problemas precisam ser resolvidos em meio a oscilação

Líder do Brasileirão com 32 pontos conquistados em 14 rodadas, o Santos faz campanha fantástica e apresenta o melhor futebol da competição nacional. Apesar disso, a derrota por 3 a 2 no clássico diante do São Paulo gerou uma pequena turbulência pelos lados da Vila Belmiro, desnecessária para uma equipe que tem campanha impecável como o Peixe.
O revés frente a boa equipe do Tricolor precisa ser encarado como natural e não significa que o time de Jorge Sampaoli está fora da briga pelo título. O Alvinegro teve bons momentos no confronto no Morumbi, apesar que alguns detalhes precisam ser corrigidos.
Na primeira etapa, os santistas encararam de igual para igual o adversário e saíram de campo vencendo por 1 a 0. No segundo tempo, assim como em todo o confronto diante do Palmeiras no início da competição, a equipe sucumbiu no momento de adversidade e acabou encurralada. Isso precisa ser corrigido rapidamente por Sampaoli.
Se em campo as preocupações não são grandes, mesmo com algumas falhas individuais, fora dele elas existem e esse problema passa pela diretoria. Após a derrota no clássico, Jean Mota reclamou publicamente por não estar sendo titular nas últimas rodadas, e o presidente José Carlos Peres rebateu o meia, piorando ainda mais a situação.
Infelizmente a diretoria santista consegue ser o retrato da incompetência da maioria dos dirigentes do futebol brasileiro. Ao invés do mandatário tentar contornar a situação que já não cai bem quando chega ao vestiário, Peres conseguiu colocar ainda mais lenha na fogueira, o que só serve para atrapalhar o ambiente da equipe.
A situação do peruano Cueva também é um ponto que precisa ser resolvido rapidamente. Emprestado até janeiro de 2020, o Santos tem a obrigação de comprar o meia por R$ 26 milhões e até agora o reforço mais badalado da temporada não mostrou a que veio. 
Com seis estrangeiros no elenco, Sampaoli só pode relacionar cinco para as partidas, e o camisa 8 acaba até ficando fora do banco de reservas. O Peixe precisa desesperadamente encontrar um clube para se livrar do atleta.
Em meio a essas questões que precisam ser resolvidas e da oscilação normal que o Santos vive no campeonato, o que o time mais precisa é que Sampaoli tenha tranquilidade para trabalhar. Se isso ocorrer, já será um grande passo para a equipe brigar pelo título até o final e ao menos garantir uma vaga na próxima Libertadores.

Eduardo Martins 
 (jalesense, aluno do 3° ano de jornalismo da PUC-Campinas) 
Desenvolvido por Enzo Nagata