jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Problemas estruturais levam Prefeitura a suspender atividades no teatro

por Luiz Ramires
21 de julho de 2019
Conselho Municipal de Turismo já havia elaborado projeto
As atividades do Teatro Municipal estão temporariamente suspensas por determinação da Prefeitura, atendendo recomendação da Secretaria de Obras, Serviços Públicos e Habitação, do Corpo de Bombeiros e do Ministério Público Estadual, por meio do promotor de justiça Eduardo Hiroshi Shintani.
A suspensão das atividades para o público está sendo provocada por problemas estruturais, conforme informou a Secretaria de Comunicação, destacando que antes mesmo da recomendação, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Obras e do Corpo de Bombeiros apurou necessidades de adequação para evitar danos e acidentes às pessoas que frequentam o local.
Diante das vistorias técnicas realizadas no espaço, a Prefeitura já havia elaborado um projeto de adequação estrutural e proteção de combate a incêndio, aprovado em 2018, através do Conselho Municipal de Turismo, tendo. A destinação de recursos financeiros provenientes do Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos) será utilizado para a completa adequação das necessidades existentes no Teatro.
A Secretaria Municipal de Esportes, Cultura e Turismo entrará em contato com as empresas que haviam reservado o espaço do Teatro Municipal para a realização de eventos no espaço e comunicar o ocorrido.

O PROBLEMA
Em abril de 2013 o teatro chegou a ser interditado. Um laudo assinado pelo então secretário de Obras à época, pela chefe de gabinete da pasta e pelo chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Trânsito, constatou que a edificação apresentava problemas na cobertura de estrutura metálica e telhas de fibrocimento. Parte das telhas de fibrocimento entraram em colapso e a cobertura sofreu perda de função devido as chuvas e ao desgaste do material, causando problemas de umidade no forro de gesso. Esse forro apresentava sinais de fadiga e umidade, podendo ceder a qualquer momento.
Como se percebe, o problema persiste desde aquela época em que o teatro apresentava outros problemas. O sistema de captação de águas pluviais também estava comprometido, segundo os profissionais que emitiram o laudo de interdição do imóvel em 2013.

Foto: Bruno Gabaldi