jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Prefeitura confirma ao MPF locação de ônibus para transporte de pacientes

Além disso, o município implantará dois horários diferentes de saída para pacientes que tenham atendimentos em São José do Rio Preto: um pela manhã e outro à tarde, o mesmo ocorrendo para o retorno a Jales.
09 de fevereiro de 2020
A Prefeitura deverá adquirir novos ônibus e reformar os dois que levam pacientes para Rio Preto e Barretos
A Assessoria de Comunicação Procuradoria da República no Estado de São Paulo distribuiu nota informando que, após recomendação do Ministério Público Federal, a Prefeitura de Jales comunicou que está melhorando o transporte público de usuários do SUS para outras cidades, como Barretos e São José do Rio Preto. O MPF lembra que os veículos utilizados por cerca de três mil pessoas todos os meses são antigos e se encontram em condições precárias de conservação.
Em resposta à atuação do MPF, o município comunicou que irá normalizar a situação em até 45 dias, cumprindo o prazo estabelecido pela recomendação para substituição ou reparo dos veículos que prestam o serviço. Entre as providências informadas pela Prefeitura estão a contratação de empresa especializada na locação de ônibus, micro-ônibus e vans, bem como a licitação de serviços e peças para manutenção preventiva e corretiva dos transportes atuais.

NOVO HORÁRIO 
Além disso, o município implantará dois horários diferentes de saída para pacientes que tenham atendimentos em São José do Rio Preto: um pela manhã e outro à tarde, o mesmo ocorrendo para o retorno a Jales. Tal medida, que também atende à recomendação do MPF, visa evitar que os usuários do SUS tenham que sair muito cedo para exames e consultas marcados no período da tarde, ou que fiquem esperando de forma prolongada para retornar à cidade quando os atendimentos são pela manhã – problemas até então enfrentados por pacientes e acompanhantes devido à disponibilização do serviço em um único horário.
As irregularidades no transporte público de saúde de Jales, segundo a nota, foram denunciadas por usuários e comprovadas pelo MPF durante vistoria realizada em outubro do ano passado. Na ocasião, foram inspecionados três ônibus e um micro-ônibus, todos antigos e com alta quilometragem. Os veículos apresentavam condições precárias de conservação e calor excessivo, inclusive com ar-condicionado inoperante em ônibus com janelas lacradas. A fiscalização também confirmou episódios em que o motor pegou fogo e houve demora na assistência.
Outro ponto cobrado pelo MPF durante a investigação e comprovado pela Prefeitura tem sido a realização de capacitação em humanização para os servidores do setor de transporte, visando à melhoria do atendimento aos usuários do SUS.