jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Prefeito monta nova estrutura para impedir desvios de recursos

por Luiz Ramires
02 de setembro de 2018
Prefeito Flá: “Temos que recuperar tudo o que foi desviado pela ex-tesoureira e criar mecanismos para que isso não se repita”
A reorganização de todo sistema de fiscalização dos gastos da Prefeitura para que não se repitam episódios como o da ex-tesoureira Érica Carpi, acusada de desviar entre R$ 5 milhões e R$ 10 milhões dos cofres municipais é a maior preocupação do prefeito Flávio Prandi Franco que está montando uma nova estrutura, com a inclusão de alguns servidores, todos contratados por concurso público. 
Outra preocupação do prefeito é procurar agilizar as formas de devolução aos cofres municipais de tudo o que foi desviado pela ex-tesoureira, embora sabendo que o tempo para que o dinheiro seja devolvido vai depender do que for decidido na Justiça.
O prefeito também aguarda a conclusão da sindicância interna que está apurando como tudo aconteceu e dependendo do resultado poderá ampliar as investigações para outros setores, para que se houver mais envolvidos os mesmos sejam punidos e devolvam o que foi desviado.

REESTRUTURAÇÃO
Dentro dessa reestruturação, o prefeito pretende contratar por concurso um novo controlador interno para substituir Ricardo Junqueira que pediu exoneração de função. Ele afirma que ao contrário do que se afirmou, a contratação de Ricardo não foi irregular, pois o mesmo era servidor concursado e passou a exercer essa função a mais.  
Sobre o fato de Érica ter sua assinatura digital para fazer saques, disse que isso é normal em qualquer administração, pois o prefeito muitas vezes não está presente para acompanhar essas emissões que são confiadas à contabilidade. O controle agora será maior também nessa questão e na emissão de cheques que como afirmou deverão ser reduzidos ao máximo e substituídos por transferências.

MAIS FISCALIZAÇÃO
O prefeito estava aguardando que a Câmara aprovasse um projeto de sua autoria para a contratação de mais dois contadores para ajudarem nesse trabalho. Ele afirma que os mesmos são necessários e serão contratados através de concurso, como já aconteceu com outros 158 servidores. O projeto teve pedido de vista, mas acabou sendo aprovado na sessão do dia 27 de agosto, segunda-feira.
O prefeito também tem afirmado em suas entrevistas que desde o início da sua administração procurou criar mecanismos para melhorar trabalho de fiscalização dos gastos públicos, inclusive contratando uma empresa de auditoria, mas foi impedido por uma ação no Ministério Público.

CEI
A Comissão Especial de Investigação, instaurada na Câmara para apurar os desvios de recursos denunciados na operação Farra no Tesouro, da Polícia Federal, segundo o prefeito, não é problema, pois fiscalizar é função dos vereadores. O que ele não concorda, como afirmou, é com o uso político de situações como essa. 
A CEI tem como presidente o vereador Fábio Kazuto (PSB), vice-presidente o vereador Vanderley Vieira (PPS) e relator o vereador Bismark Kuwakino (PSDB). Os membros da CEI foram definidos através de indicação feita pelos líderes dos partidos e os cargos designados entre os três indicados, assegurada a representação proporcional.

MAIS DESVIOS
A Polícia Federal de Jales informou que está desenvolvendo uma ampla investigação contra os desvios praticados pela ex-tesoureira que beneficiou a família com uma vida de luxo ao longo de dez anos, em um valor que pode ultrapassar R$ 10 milhões que foram afanados das contas públicas do município.
A PF identifica novos desvios praticados pela ex-tesoureira em contas do Pasep, iluminação pública e até mesmo da merenda escolar. Os levantamentos e cruzamentos de dados vão continuar, objetivando a obtenção do total dos prejuízos causados aos cofres públicos de Jales, como informou a PF.