jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

PREFEITO FLÁVIO PRANDI FRANCO

“Estamos no meio do caminho para a estabilidade financeira”
06 de janeiro de 2019
Flá: Estamos colocando a casa em ordem, preparando a cidade para o desenvolvimento
Apesar das dificuldades históricas, as finanças da Prefeitura não estão tão mal como seria de se pensar. Pelo menos na avaliação do prefeito Flávio Prandi Franco, o pior já passou e como ele mesmo afirmou “estamos no meio do caminho para que os próximos anos sejam de estabilidade”. Para os próximos dois anos, a Prefeitura deverá investir mais de R$ 20 milhões, principalmente em obras de infraestrutura.
Problemas enfrentados em 2018, como os da Farra no Tesouro, segundo o prefeito, não deverão se repetir, pois permitiu reorganizar a Secretaria de Fazenda, mudando o sistema anterior para dar mais segurança na fiscalização dos recursos.
A educação, segundo o prefeito, vai muito bem e a saúde tem adotado medidas que reduziram as reclamações.
Sobre seu padrinho político Rodrigo Garcia, Flá afirma que será uma grande vitória para o povo jalesense tê-lo como vice-governador e como político influente em Brasília.
Por enquanto o prefeito não quer falar sobre reeleição, que prefere discutir em um momento mais adequado. (Luiz Ramires)

JJ - Dois anos depois da sua posse, qual a situação financeira da Prefeitura?
Flá - A situação financeira é sempre uma preocupação e temos que estar sempre atentos, pois imprevistos aparecem. No entanto, avançamos muito e estamos no meio do caminho para que os próximos anos sejam de estabilidade financeira, objetivo que tanto almejamos. Isto nos permitirá ter uma capacidade de investimento muito maior.

JJ - Com as medidas tomadas a Prefeitura aumentou sua capacidade de investimentos?
Flá - Sim. E, após a regularização financeira, com a relação estabelecida com as lideranças políticas em nível federal e estadual que nós temos, acreditamos que a capacidade de investimentos nos próximos anos será uma realidade e uma conquista importante para nossa cidade.

JJ - É público e notório que o senhor encontrou várias obras inacabadas. Em que pé está essa situação?
Flá - Realmente, encontramos mais de uma dezena de obras inacabadas, em várias áreas importantes como educação, saúde, esporte e assistência social. Isso demandou um esforço muito grande da administração, tanto físico quanto financeiro, sendo que a grande parte foi concluída com investimento do Tesouro Municipal. No momento, finalizamos mais de 80% dessas obras, restando somente duas, que serão brevemente entregues à população.

JJ - Em sua avaliação, como está a Secretaria de Educação?
Flá - A Secretaria da Educação está muito bem avaliada, já que os índices alcançados foram extremamente relevantes, o que nos dá a segurança para continuar o trabalho. Nesses últimos dois anos, pudemos melhorar a frota escolar, oferecer uma merenda de qualidade, capacitar e valorizar os profissionais da educação e oferecer condições adequadas de trabalho a todos. Também adquirimos um novo prédio que será utilizado para melhorar ainda mais o funcionamento da Secretaria da Educação e também contratamos novos educadores, por meio de concurso público.

JJ - Há reclamações sobre desempenho na rede municipal de saúde. O que é preciso para melhorar?
Flá - O trabalho na saúde é permanente e sempre há o que melhorar. Mas conseguimos diminuir as reclamações, adotando várias medidas. Uma delas foi a implantação dos Conselhos Municipais nos bairros, que aproximou a rede de saúde da população, permitindo atender os seus anseios e as suas reivindicações. E o agendamento contínuo das consultas nas Unidades Básicas de Saúde, diminuindo as filas.
Também avançamos em tecnologia, para melhorar os serviços, com a implantação do PEC (Prontuário Eletrônico do Cidadão), do Hórus (um sistema de assistência farmacêutica que permitiu a regularização do estoque de insumos e medicamentos nas unidades) e o e-SUS (uma estratégia de gestão das informações de atenção básica para melhorar o atendimento à população).
Melhoramos a frota de veículos da saúde, adquirimos vários equipamentos médicos, mobiliários e de informática, entregamos unidades básicas de saúde novas, estamos reformando outras e ainda há a construção de uma nova unidade, de porte II.
Na área de prevenção de doenças, tivemos ótimas coberturas vacinais, mantivemos o controle da dengue, do zika vírus e do chikungunya, que certamente trarão impactos positivos em nossos indicadores. 

JJ - Quais medidas o senhor tomou para evitar novos episódios como o da Farra no Tesouro?
Flá - Tomamos providências imediatas em relação ao episódio, contratando profissionais (contadores e escriturários), através de concurso público, o que nos permitiu uma reorganização da Secretaria da Fazenda. 
Também implantamos o relatório da Folha de Pagamento, integrado à Contabilidade. E adotamos um controle mais rigoroso nos pagamentos que são feitos, na sua grande parte, através de transferências eletrônicas, com uma fiscalização mais eficaz por parte de todos os responsáveis.

JJ - Ao falar sobre a Operação Farra no Tesouro, o delegado da Polícia Federal disse que a Prefeitura é uma bagunça. O senhor concordou?
Flá - A operação nos permitiu fazer uma reorganização em toda a Secretaria, com novas ações, em um formato completamente diferente do modelo anterior, o que atualmente nos dá mais segurança e, consequentemente, proporcionou uma maior organização do setor, fato que entendemos como vital para o sucesso da nossa administração.

JJ - Quais os seus planos para os últimos dois anos de administração?
Flá - Serão mais de 20 milhões de reais investidos em obras de revitalização, reformas e adequações, valorizando nossos pontos turísticos, sendo que o investimento principal será em asfalto, recapeamento, galerias, calçamento e outros, melhorando as condições de vida da nossa população e corrigindo problemas crônicos que a cidade tinha.
E não vamos parar por aí. Estamos também atentos e empenhados em proporcionar uma significativa melhora da qualidade dos serviços públicos oferecidos, pois o nosso maior objetivo é colocar a “casa em ordem” para preparar a cidade para o desenvolvimento.

JJ - Em que medida a presença de Rodrigo Garcia, seu padrinho político, como vice-governador, pode contribuir para avanços em Jales?
Flá - O Rodrigo Garcia já provou que tem muito carinho por Jales. E confio plenamente em sua capacidade de trabalho e em sua liderança política. Tenho certeza que será uma grande vitória para o povo jalesense tê-lo como vice-governador do Estado de São Paulo e como político influente também em Brasília. Posso afirmar que o Rodrigo já fez muito por Jales e continuará ajudando a nossa cidade nos próximos anos.

JJ - O senhor pretende ser candidato à reeleição? 
Flá - Precisamos estar atentos e sempre dispostos a colaborar e trabalhar pela nossa cidade. Posso assegurar que, no final de 2020, vamos estar muito melhores e, agora, estamos empenhados em avançar cada vez mais. A discussão sobre a reeleição precisa ser mais ampla e em um momento mais adequado.