Observatório

Prefeito Flá busca verba para geradores de energia a diesel

Voltamos ao tempo das cavernas. A cidade de Jales deveria instalar geradores de energia a diesel para suprir a patética prestação de serviço da Elektro. Duas nuvens no céu e Jales fica sem energia. Háháhá. Meu amigo andarilho bebum, aquele que sabe tudo, mas não prova nada, me garantiu que o prefeito Flá tem cogitado instalar geradores de energia a diesel aqui em Jales. Há quem garanta que já existem geradores mais modernos, movidos a álcool e que não poluem o meio ambiente, mas o prefeito pediu um tempo para estudar o assunto. Movido a álcool seria mais fácil de conseguir o apoio da Câmara Municipal. Um voto a favor é garantido. Háháhá. A gente brinca, mas quando começa a chover em Jales vai me dando uma gastura, pois é uma questão de tempo para ficarmos sem energia elétrica. 
Por falar em gastura, ou aflição, como diriam alguns, algumas coisas me afetam profundamente. Me dão uma gastura danada. Manusear isopor, por exemplo. Que coisa horrorosa. Outra coisa que me dá gastura é ver homem segurando recém-nascido no colo. Parece que vai cair a qualquer momento. Outra coisa aflitiva é ver obeso saindo do carro. Primeiro põe a perna esquerda para fora do carro com a ajuda das mãos. Depois dois pulinhos em direção à porta levantando as nádegas. Então puxa a perna direita. Segura firme no teto do carro com as duas mãos, prende a respiração e sai. São segundos de muita aflição. Háháhá. Eu já estou quase assim. Por causa do joelho podre, claro. Háháhá. 
Foi destaque neste Jornal de Jales, dia desses, que o padre Arnaldo Parminondi caiu no golpe do empréstimo bancário. Aquele que os pilantras ficam ligando oferecendo crédito pré-aprovado. O padre caiu no conto do vigário. Háháhá. Vixi! Perdi 30 pontos no céu com essa piadinha. E o malandro que aplicou o golpe perdeu 50 pontos. Háháhá. 
Aliás, recebi uma visita muito especial esta semana. O padre Rodolfo Cabrini, que é uma unanimidade na comunidade Santo Expedito, no Jardim Morada do Sol, na vizinha Fernandópolis, esteve aqui no CCAA. De mudança para São Paulo, onde vai fazer mestrado, o padre Rodolfo veio fazer a matrícula do afilhado Mateus, cujo curso o sacerdote vai custear. Pensa num moço simpático e de fala mansa e agradável. Não é à toa que ele arrastava multidões à Missa de Adoração celebrada por ele toda quinta-feira naquela paróquia. A presença dele tirou todo “olho-gordo” aqui da escola. Háháhá. Uma vez levei uma bronca do pastor Honorinho por causa desse “olho-gordo”. Pouco tempo depois de abrir a escola o pastor Honorinho esteve aqui no CCAA para uma visita de cortesia. Na despedida pedi a ele que incluísse a escola nas suas orações para tirar “olho-gordo”. O pastor Honorinho disparou: “Você não crê em Deus não? Ore e esqueça essas bobagens. ” Ele tem razão.  
Por hoje é só. Tchau. 

Fábio Fiorani
(é coordenador pedagógico do CCAA de Jales)
Desenvolvido por Enzo Nagata