jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Prefeito afirma que o bosque deve ser liberado para visitas em três meses

por Luiz Ramires
12 de junho de 2017
O TAC foi assinado na Procuradoria da República em Jales com a presença de assessores do prefeito, imprensa e educadores
O prefeito Flávio Prandi Franco acredita que nos próximos três meses a população já poderá frequentar o Bosque Municipal Aristóphano Brasileiro de Souza que estava abandonado há vários anos, mas há alguns dias já começou a ser recuperado, para cumprir exigências do Ministério Público Federal.
A Prefeitura tem seis meses para apresentar um plano de revitalização do bosque e mais dois anos para concluir a reforma, de acordo com o Termo de Ajustamento de Conduta assinado no dia 6 de junho, terça-feira, pelo prefeito durante reunião com o procurador da república em Jales, José Rubens Plates.
A afirmação do prefeito de que o bosque logo estará em condições de ser frequentado se deve à determinação do TAC de que em três meses aquele espaço terá que contar com algumas ações imediatas, como limpeza e sinalização. Nesse período, o bosque também terá que estar cercado, com os entulhos recolhidos e com placas educativas ou proibitivas e as espécies nativas terão que estar catalogadas.

MELHORIAS
Em 30 meses, ou seja, dois anos após a apresentação do plano de revitalização, o bosque terá que contar com playgrounds, quiosques e trilhas ecológicas, além de um plano de gestão e vigilância. Pelo TAC a Prefeitura se compromete ainda em promover iniciativas para sua efetiva utilização e participação da comunidade, como campanhas, passeios ciclísticos e encontros culturais ao ar livre, além de contar com projetos de educação sanitária e ambiental em parcerias com escolas públicas e particulares. O não cumprimento das obrigações assumidas no acordo implicará em multa diária de R$ 1 mil.
O Ministério Público Federal decidiu intervir porque no ano passado foi instaurado um inquérito civil para apurar o mau uso de recursos federais destinados ao município para urbanização do bosque, pois em 2008 a Prefeitura havia recebido R$ 146 mil do Ministério do Turismo para a recuperação daquele espaço. De acordo com o MPF as investigações mostraram que o convênio com a União foi executado e sua prestação de contas realizada, mas apesar dos investimentos, o bosque ainda não possui condições de atender a população.    

CUMPRIMENTO
Na reunião que contou com a presença de assessores do prefeito, de educadores, da imprensa, dos padres Deoclides, da Paróquia de Santo Antônio e Willian, da Catedral e da diretora de ensino, Marlene Jacomassi, o procurador lembrou que o TAC foi firmado um dia depois do Dia Internacional do Meio Ambiente. Ele acredita que pela disposição demonstrada pelo prefeito, não deverá haver dificuldades para o cumprimento do acordo.
O prefeito também não vê dificuldades porque, como afirmou parte das determinações exigidas para as duas primeiras etapas do acordo já vem sendo realizada como a limpeza, cerco e catalogação das árvores, ao mesmo tempo em que o projeto para ser apresentado em seis meses também já está em andamento, para que o mesmo seja implantado em 24 meses.

Fotos: Bruno Gabaldi