jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

POUCAS são as empresas públicas ou grandes corporações prestadoras de serviços que escapam das críticas e avaliações muitas vezes extremamente negativas ...

Contexto
23 de julho de 2018
POUCAS 
são as empresas públicas ou grandes corporações prestadoras de serviços   que escapam das críticas e avaliações muitas vezes extremamente negativas dos consumidores insatisfeitos pelo que pagam e o que recebem em benefícios.

REVERTER
essa tendência é tarefa que exige muita competência, planejamento, administração de gastos, qualidade, motivação de equipe e acompanhamento das atividades realizadas em cada setor e para públicos diferentes, para que a população reconheça todo esse esforço, embora o que interessa mesmo é a satisfação de quem está pagando.

QUANDO
esse tema é abordado fica difícil ignorar o trabalho desenvolvido pela Divisão de Jales da Sabesp na cidade e em 27 municípios e nove distritos, todos com 100% de redes de água e coleta de esgoto, quando se sabe que no país mais de 35 milhões de pessoas ainda vivem sem água na torneira e só a metade (51,92%) têm coleta de esgoto, segundo dados do Instituto Trata Brasil.

OUTRO
exemplo de eficiência que na região é conhecido por todos, mas precisa sempre ser colocado em evidência pelo que representa de diferencial em relação a outras regiões, mesmo no Estado de São Paulo, é o tratamento do esgoto que em Jales conta com uma estação modelo para o país, com jardinagem e arborização que se tornou local obrigatório de visitas das escolas e outros grupos interessados na questão ambiental.

EMBORA
tudo isso seja resultado de décadas de boa administração da empresa na região, o grande desafio é dar sustentabilidade ao que vem sendo realizado para melhorar ainda mais, mesmo que o nível de satisfação dos usuários já chegue a incríveis 95% de aprovação, segundo o levantamento mais recente.

UMA
referência de que a Sabesp de Jales pensa no futuro foi dada durante a inauguração do Reservatório do Jardim São Jorge, atualmente com capacidade para 150 mil litros mas que nos próximos anos poderá chegar a dois milhões, se houver necessidade de garantir o abastecimento para outras partes da cidade, dentro de um planejamento que já começa a ser pensado para utilização de todo aquele espaço, como informou o gerente da Divisão de Jales, Gilmar Rodrigues de Jesus. (Luiz Ramires)