jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

POR estarem mais próximos da população, principalmente nos redutos onde tiveram mais votos, como nos bairros ou em algum setor que agrega muitas pessoas...

Contexto
14 de janeiro de 2019
POR 
estarem mais próximos da população, principalmente nos redutos onde tiveram mais votos, como nos bairros ou em algum setor que agrega muitas pessoas, como instituições, clubes de futebol, clubes de serviços, igrejas e outros, os vereadores acabam sempre sendo os mais cobrados pelo que fazem ou deixam de fazer.

EXATAMENTE
por isso são constantemente criticados não porque deixam de fiscalizar, cobrar o Executivo e apresentar projetos que deveriam ser suas principais atribuições e responsabilidades, mas por problemas que não cabem a eles resolver.

MAS,
afinal o que é ser um bom ou mal vereador só os resultados do seu trabalho vão dizer, na medida em que a população vai percebendo quem realmente está direcionando seus esforços em benefício de todos, ou buscando soluções para situações que ele não pode resolver, mas pode orientar ou procurar alguma alternativa juntos aos responsáveis.

COMO
não dá para detalhar as realizações de cada um, todos os anos as Câmaras divulgam um balanço das atividades do Legislativo, procurando mostrar trabalho e justificando sempre com a necessidade de melhorar as condições de vida da população e lutando por melhorias para o município.

ASSIM,
na mensagem divulgada pelo encerramento do ano e do seu período de dois anos à frente do Legislativo, seu presidente Vagner Selis (PRB) destaca as 1.049 proposituras, sendo 607 indicações e 164 requerimentos encaminhados ao Executivo.

FORAM
aprovados 121 projetos de lei, 11 projetos de lei complementar, 3 projetos de resolução, 26 emendas e várias outras proposituras e analisados 647 documentos encaminhados ao Departamento Jurídico, incluindo  pareceres, pesquisas de documentos jurídicos, análises de contratos, ofícios e editais, sendo que a Comissão de Constituição, Justiça e Redação realizou 34 reuniões para discutir projetos que passaram por votação em plenário.

E COMO
também acontece todos os anos em Jales, o Legislativo está devolvendo recursos à Prefeitura por conta de parte dos duodécimos repassados pelo Executivo que representam 7% do total da receita do município que não foram utilizados e que este ano chegaram a R$ 90 mil. 

NÃO EXISTE
qualquer vinculação ou condição importa pelos vereadores para a devolução do dinheiro, mas sim uma sugestão de como gostariam que o mesmo fosse empregado. Este ano a Prefeitura deverá comprar uma ambulância com dois leitos, o que não deixa de ser uma boa recomendação. (Luiz Ramires)