jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Polícia Militar aperta o cerco contra embriaguez ao volante, reafirma capitão

por Luiz Ramires
18 de setembro de 2017
Capitão Tominaga: a falta de conscientização de muitos motoristas exige fiscalização permanente
A embriaguez ao volante é um problema muito sério que vem provocando um número cada vez maior de vítimas, por isso as blitez com a realizada nos dias 2 e 3 de setembro vão continuar, não só em Jales, como em outras cidades de maior porte da região. A afirmação é do capitão Alex Akisani Tominaga, comandante da 2ª Cia. do 16º Batalhão da Polícia Militar em Jales.
Em entrevista ao Jornal de Jales, o capitão afirmou que essas operações são comuns e geralmente ocorrem várias vezes ao ano, de forma integrada, envolvendo o Detran, a Polícia Militar, a Polícia Civil e a Polícia Científica. O objetivo principal é combater a embriaguez, que como afirmou, vem se agravando por falta de conscientização dos motoristas que ingerem bebida alcoólica e pensam que não estão alterados, mas na verdade estão e acabam colocando em risco não só sua própria vida como a de outras pessoas.
O grande número de motoristas autuados na última blitz mostra que são bastante casos, mesmo com muita gente sabendo da operação antes dela ser realizada.
O capitão destacou que quando trabalhava em Fernandópolis participou de algumas dessas operações e verificou que o problema é o mesmo, com várias pessoas sendo flagradas alcoolizadas e mesmo embriagadas.
Embora algumas pessoas não vejam com simpatia operações como essas, o capitão lembra que as mesmas são necessárias, pois é preciso haver fiscalização. Muitos motoristas ainda não estão conscientes do perigo que correm ao dirigir ingerindo álcool e precisam ser advertidos e penalizados, como afirmou.

TRABALHO PERMANENTE
O capitão informou que além dessas operações conjuntas a Polícia Militar desenvolve um trabalho intenso de fiscalização, inclusive com bloqueios que podem ser programados em qualquer horário ou dia da semana.
Nessas operações a PM fiscaliza não apenas a embriaguez, mas outras infrações de trânsito que colocam em risco o motorista e a população, como falta de documentação, licenciamento vencido, uso de celular ao volante, pneus desgastados. “Alguns podem não concordar, mas é um mal necessário, até para que outros não pratiquem essas infrações”, afirmou o capitão.

MOTOS
O capitão lembra ainda que são cada vez maiores os acidentes envolvendo motos o que, na sua avaliação, também tem a ver com a falta de conscientização, tanto dos motociclistas quando dos motoristas.
A recomendação é para que os motociclistas dirijam com calma e prestando atenção. Muitos já fazem isso, mas alguns são vistos conduzindo suas motos sem os devidos cuidados, inclusive com ultrapassagens arriscadas e até do lado proibido, ou com excesso de velocidade. 
O capitão lembrou que não só no trânsito, mas em outros casos de infração, a Polícia Miliar sempre contou com o apoio da população, para apresentar sugestões e denúncias, através do telefone 190, para serem averiguadas. Isso tem contribuído para reduzir o número de ocorrências, mesmo porque a polícia, como afirmou, não pode estar em toda parte ao mesmo tempo.