jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Polícia Federal de Jales pode desencadear nova operação contra grupo que roubava os Correios

por Luiz Ramires
08 de abril de 2018
Os veículos apreendidos foram levados para a sede da Polícia Federal
Dependendo do que for apurado com os depoimentos do grupo preso pela Polícia Federal de Jales no dia 3 de abril, terça-feira, durante a Operação Reembolso, novas investigações e até mesmo uma nova operação, com novas prisões, poderá ser desencadeada para dar continuidade aos trabalhos, como afirmou o delegado Cristiano de Pádua da Silva.
O grupo criminoso era da região de Araçatuba e Birigui e atuava no interior de São Paulo, principalmente na região de Jales, em roubos e furtos em agências dos Correios, supermercados, lotéricas, postos de gasolina, além de outras empresas que possuíam cofres para guarda de valores. 
O serviço de comunicação da Polícia Federal de Jales informou que mais de 100 policiais federais cumpriram dois mandados de prisão preventiva, 11 mandados de prisão temporária e 20 mandados de busca e apreensão em Urânia, Aparecida d’Oeste, Araçatuba e Birigui. Uma servidora dos Correios de Urânia suspeita de repassar informações privilegiadas ao grupo, também foi presa temporariamente. O delegado acredita que esse fornecimento de informações também pode ter acontecido em outras situações.
Na terça-feira foram efetuadas 9 prisões e na quarta, outro envolvido, morador de Birigui, mas com familiares em Urânia, se apresentou com seu advogado na sede da PF de Jales.
INVESTIGAÇÕES
A Polícia Federal informou que as investigações começaram a partir de um roubo ocorrido na agência dos Correios de Urânia em janeiro de 2016. Na ocasião, dois homens armados renderam os funcionários e roubaram toda a quantia que estava depositada no cofre da agência postal. A partir deste roubo, de competência federal, a PF iniciou as investigações e identificou núcleos de criminosos nas cidades de Araçatuba e Birigui, que mantinham contatos com comparsas da região de Jales. No decorrer das investigações, outras ações criminosas do grupo foram identificadas em Nipoã, Aparecida d’Oeste, Urânia, Araçatuba e Birigui. 
A PF identificou crimes contra os Correios, mas postos de gasolina, lotéricas e supermercados também foram alvos dos criminosos. A agência dos Correios de Urânia foi alvo do grupo em pelo menos três ocasiões desde o início das investigações. Na última tentativa de ação, em outubro de 2017, eles foram surpreendidos por equipes da PF e da PM. Houve resistência e troca de tiros que terminou com a morte de um e a prisão de outros três criminosos. Outros três indivíduos foram identificados posteriormente e foram presos na operação de terça-feira.
Os mandados judiciais foram expedidos pela Justiça Federal de Jales e Justiça Estadual de Palmeira d’Oeste. Os presos responderão, na medida de sua culpabilidade, pelos crimes de furto e roubo qualificado, associação criminosa armada, tentativa de homicídio dentre outros crimes. Os detidos, juntamente com todo o material apreendido nas buscas foram encaminha