jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Polícia Civil de Jales esclarece mais dois golpes praticados pela internet

por Luiz Ramires
09 de junho de 2019
Os golpes pela internet são cada vez maiores, mas os esclarecimentos também, constatou delegado
O delegado Carlos Monteleone está apenas aguardando a última quebra de sigilo bancário de uma quadrilha acusada de praticar um golpe pela internet que chegou a R$ 92 mil contra uma empresa de Jales para decretar a prisão preventiva e sequestro de bens do grupo.
Outro golpe, também pela internet, causou um grande transtorno na vida financeira e tributária de um jalesense que teve sua declaração de imposto de renda falsificada e abertura de conta bancária em seu nome. Sua vida ficou totalmente tumultuada, até ele conseguir regularizar sua situação.
Os dois golpes foram praticados em 2015 e em 2016 e como afirmou o delegado, ao Jornal de Jales, o esclarecimento dos mesmos mostra, que quem pensa que esse tipo de crime, por internet ou telefone, sempre acaba impune está muito enganado, mesmo que as investigações muitas vezes possam demorar alguns anos. Por isso, vale a pena denunciar, pois a vítima sempre acha que não vai dar em nada e não é isso que acontece.

HACKER
Um dos golpes foi praticado contra uma empresa que teve seu sistema invadido por um hacker que conseguiu fazer alguns empréstimos em nome da mesma. Rastreando o dinheiro, através de contas correntes, onde o valor é pulverizado, a polícia chegou ao autor.
Nesse caso, a Polícia Civil de Jales teve o apoio da Polícia Federal do Paraná para descobrir o autor dos golpes e para onde ele mandava o dinheiro, através de uma quadrilha altamente especializada nesse tipo de golpe, inclusive usando “laranjas” que emprestavam suas contas correntes para a circulação do dinheiro.
No outro golpe, um estelionatário de Curitiba, que também foi identificado, além de fazer até uma declaração de imposto de renda em nome da vítima, abriu uma conta corrente em uma agência bancária de Curitiba, usando assinaturas falsas. 
O delegado explicou que atualmente grande parte dos crimes não são mais praticados com armas, mas de forma virtual que se sofisticam e se intensificam cada vez mais e por isso é preciso ficar muito atento. Acontece que da mesma forma, a polícia também vai estudando e se aperfeiçoando nas técnicas de investigações desse tipo de crime.