jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

POLE POSITION – Não será surpresa para esta coluna se o governo do Estado escolher Jales para implantar o projeto-piloto do novo Poupatempo, versão atualizada do programa melhor avaliado da administração estadual.

Fique Sabendo
07 de julho de 2019
Prefeito Flá em São Paulo, na sede da Rumo, com os diretores Bruno Madalena (Relações Governamentais) e Emanoel Costa Junior (Relações Governamentais Norte)
POLE POSITION – Não será surpresa para esta coluna se o governo do Estado escolher Jales para implantar o projeto-piloto do novo Poupatempo, versão atualizada do programa melhor avaliado da administração estadual.  Técnicos da Prodesp (Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo) foram vistos na última quarta-feira, dia 3 de julho, vistoriando as instalações do Centro de Economia Solidária, onde hoje funciona o Ganha Tempo, espaço colocado à disposição do órgão estatal pelo prefeito Flávio Prandi Franco 

QUESTÃO DE JUSTIÇA – A coluna apurou junto a assessores do prefeito que, se concretizada, a conquista terá como padrinho o vice-governador Rodrigo Garcia, mentor político de Flá. Ainda de acordo com as mesmas fontes, o prefeito também fará questão de dar o devido crédito à deputada estadual Analice Fernandes, autora da emenda que viabilizou o Ganha Tempo, embrião do Poupatempo.

ARRANCADA – Secretários municipais e companheiros políticos de Flá garantem que o Poupatempo, se concretizado, é apenas a ponta do iceberg de uma bem nutrida safra de conquistas que estão no gatilho, entre as quais o início da construção dos dois viadutos sobre os trilhos da estrada de ferro na altura da Rua 2. Flá teria confidenciado a um influente secretário que o nome do padrinho político Rodrigo Garcia funciona como uma espécie de “abre-te Sésamo” entre diretores da Rumo, empresa concessionária da ferrovia que passa por Jales. O prefeito se reuniu com dois importantes diretores da Rumo, quarta-feira, em São Paulo.  

FÔLEGO – De sua parte, o empresário Luís Henrique Moreira, candidato a deputado estadual mais votado em Jales em 2008, continua mantendo o pique da campanha. Só para ficar em exemplos do final da semana passada, ele foi visto na Violada 5 Estrelas em favor da AACAJ na noite de sábado, dia 29, onde se encontrou com o deputado estadual Itamar Borges. No domingo, 30, bateu ponto no Porco no Tacho, do Lions Clube, do qual foi um dos patrocinadores, passou pela quadra da Escola Euphly Jalles em rodada da Liga Regional de Vôlei Feminino, esticou no Banespinha onde havia final de futebol de racha e encerrou o giro participando de reunião festiva familiar na residência do blogueiro Betto Mariano. 

PONTO FUTURO - Indagado por este ou aquele eleitor se está esquentando as turbinas para ser candidato a prefeito, LH invariavelmente desconversa sem negar: “o nosso grupo terá candidato a todos os cargos nas eleições do ano que vem”.

REVOLUÇÃO – Todos sabem que a próxima terça-feira é feriado. Mas, nem todos da nova geração sabem que a próxima terça-feira é feriado porque o dia 9 de julho é a data máxima do Estado de São Paulo. Foi exatamente neste dia, em 1932, que os brasileiros de São Paulo se rebelaram contra o governo ilegítimo presidido por Getúlio Vargas e deflagraram a Revolução Constitucionalista para restaurar a normalidade democrática. 

CAMINHADA 9 DE JULHO – Vale lembrar que coube a um jalesense, Roberto Gonçalves, criar um movimento que ganhou matérias em jornais e registros em programas de televisão no início dos anos 2000.  Além de sociólogo, psicanalista e escritor, Roberto é historiador e, por conta desta formação acadêmica, criou a ONG Cidadania Plena, da qual se tornou presidente, propondo a Caminhada 9 de julho, com o objetivo de resgatar uma das mais bonitas páginas da história paulista.

PONTA A PONTA- De acordo com roteiro definido por Roberto, os caminhantes, em torno de 20 pessoas,  percorriam, a pé, durante 36 dias,  800 quilômetros , saindo de Rubinéia, no dia 4 de junho, na divisa entre São Paulo e Mato Grosso do Sul, e terminando a jornada em Cruzeiro, no Vale do Paraíba, divisa com o Estado do Rio de Janeiro, exatamente no dia 9 de julho, levando às cidades por onde passava uma reflexão sobre os ideais de democracia e liberdade defendidos pelos revolucionários que lutaram por uma constituição justa e soberana. 

FAZENDO CABEÇAS – Durante todo o percurso havia uma solenidade pela manhã nos municípios onde os andarilhos pernoitavam, sempre com o objetivo de recordar a luta dos paulistas pela democracia levantando a bandeira da liberdade. O encerramento era sempre uma grande festa cívica, contando, em algumas vezes, com a presença do capitão Gino Struffaldi, presidente do MMDC, sigla que tornou a revolução conhecida no país, com as iniciais dos quatro estudantes paulistas mortos pelas tropas federais — Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo.

CONTINÊNCIA – Na 4ª edição da Caminhada 9 de julho, dia 7 de junho de 2008, os participantes pernoitaram em Jales e participaram de solenidade em Jales, ocasião em que o memorialista Genésio Seixas falou sobre a participação da região na revolução, ouvido por alunos do curso de História da Unijales e alunos da Escola Estadual Dr. Euphly Jalles. Ele destacou um contingente que foi deslocado de São José do Rio Preto até a divisa do Estado de São Paulo com o então Estado de Mato Grosso para assegurar o domínio no Porto de Tabuado. Na mesma ocasião, as então vereadoras Aracy Murari Cardozo e Pérola Cardoso homenagearam Sigmar Almeida, filha mais velha do combatente Geraldo de Almeida, que morou em Jales.