jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Plínio

Plínio de Arruda Sampaio
14 de julho de 2014

O processo constituinte (1988) expressou, predominantemente, a conciliação entre o militarismo em final de ciclo explícito (a ditadura) e os representantes burgueses na Assembleia Constituinte de 1988. A tese do congresso constituinte foi defendida pelo Deputado Roberto Rollemberg em Jales e região: a tese venceu e ele foi o constituinte.
Na época fiz muitas palestras e participei de encontros em Jales e região defendendo a tese perdedora: a da assembleia exclusivamente constituinte. Plínio de Arruda Sampaio também defendia a tese perdedora.
Veio a Jales para falar na catedral. Fui. Abracei o homem. Usei do microfone. Fiz a minha saudação.
Disse a ele representar naquele ato, em solicitação fraterna, o Deputado Roberto Rollemberg: ele ficou feliz. Admiravam-se mutuamente. Eu também fiquei feliz.
Hoje morreu Plínio de Arruda Sampaio.
Chamo por ele e a resposta é: presente Plinio de Arruda Sampaio.

 Antonio Rodrigues Belon
(professor aposentado)