quarta 14 abril 2021
Fique Sabendo

PINGOS NOS Is- Do alto da experiência de quem foi prefeito da Estância Turística de Santa Fé do Sul durante quatro anos, Ademir Maschio, que assumiu a Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento de Jales...

Ademir Maschio, secretário municipal de Fazenda e Planejamento, explica o destino do dinheiro da Covid 

PINGOS NOS Is- Do alto da experiência de quem foi prefeito da Estância Turística de Santa Fé do Sul durante quatro anos, Ademir Maschio, que assumiu a Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento de Jales, no início da administração Luís Henrique Moreira, foi rápido no gatilho e se encarregou de colocar a bola no centro em relação a dúvidas levantadas pelo vereador Bruno de Paula (PSDB) e levadas ao Ministério Público. O vereador estreante queria saber onde foi parar o dinheiro enviado para a Covid-19.

PINGOS NOS Is (2) – Ouvido pela coluna, o secretário Ademir, com clareza solar, explicou didaticamente o destino dos recursos enviados pelo governo federal após o reconhecimento do estado de pandemia, a partir de março do ano passado, lembrando ainda que as informações prestadas ao Ministério Público podem ser conferidas no Portal da Transparência do município.

PINGOS NOS Is (3)- Segundo Ademir, tendo em vista a queda de arrecadação nos estados e municípios, o governo federal editou a Lei Complementar 173/2020, liberando três repasses. O primeiro foi um Auxílio Financeiro da ordem de R$ 4.784.321,81, para livre movimentação dos prefeitos —no caso de Jales, Flávio Prandi Franco usou o dinheiro para pagamento da folha salarial. O segundo Auxílio Financeiro, também com base na LC 173/20, no valor de R$ 710.243,90 era específico para as áreas da Saúde e Social. Foram gastos 69.586,41, ficando um saldo de R$640.657,41. O terceiro repasse, este também carimbado, somente para o Combate ao Coronavírus, foi de R$ 3.557.546,12. Até agora, entre a administração anterior e a atual, foram gastos R$ 1.643.901,41 na aquisição de insumos, medicamentos e equipamentos no enfrentamento à Covid-19, restando em caixa um saldo de R$ 1.913.644,71, que podem ser investidos em qualquer tempo para os fins a que foram destinados.

ARRECADAÇÃO – Com um certo alívio, o secretário de Finanças informou também que, apesar das dificuldades vividas pela população, o pagamento do IPTU foi normal, não havendo queda em termos comparativos com o exercício anterior.

LIÇÃO DE CASA – Outra explicação de Ademir, a respeito de notificações que têm sido feitas a prestadores de serviços e outros contribuintes. Como houve a suspensão de pagamentos de tais tributos em 2020, no auge da pandemia, a Prefeitura está sendo obrigada agora a fazer as notificações aos devedores, inclusive em obediência ao que determina o Tribunal de Contas do Estado. Mas, o prefeito Luís Henrique, segundo o secretário, não tem a intenção de colocar nenhum contribuinte “no pau”. E mais: dada a excepcionalidade do momento, não está descartada a hipótese da edição de um mecanismo que facilite a quitação das dívidas contraídos pelos contribuintes junto ao erário público municipal.

LUA DE FEL – O deputado federal Fausto Pinato (Progressistas), com base eleitoral em nossa região, continua com o dedo no gatilho. Depois de ganhar espaço nos principais programas jornalísticos da televisão e até menção em editorial do jornal “O Estado de S. Paulo”, ele voltou a ser notícia. Em matéria intitulada “Lua de mel de Bolsonaro com Centrão acaba”, publicada pelo Estadão de segunda-feira, 22 de março, Pinato abriu a mala de ferramentas.

SEMÁFORO – Ouvido pelo jornal, o parlamentar confirma que há uma mudança sutil no relacionamento do Centrão com o governo e que o “sinal laranja” de alerta já está ligado e caminhando para o “vermelho”. As declarações ao jornal não deixam margem a dúvidas. Disse ele: “ninguém vai querer se expor em um governo que pode acabar mal por causa da pandemia. Acredito que os líderes estão se afastando de Bolsonaro até ver no que vai dar esse ministro da Saúde e qual plano será adotado”. E foi além: “se não mantiver um cronograma de vacinação e as mortes aumentarem, não terá como segurar a CPI”.

BATATA QUENTE- Deputado estadual Carlão Pignatari está curtindo o doce saber de ser um dos chefes de poderes no Estado de São Paulo. Como se sabe, no dia 15 de março, ele tornou-se presidente da Assembleia Legislativa, conquistando 68 dos 94 votos possíveis. Mas, como nem tudo que reluz é ouro, Carlão inicia seu mandato tendo que lidar com um caso momentoso que repercutiu no Brasil inteiro, colocando em pé de guerra as lideranças feministas. Trata-se do processo disciplinar contra o deputado estadual Fernando Cury (Cidadania), eleito pela região de Botucatu, acusado de importunar sexualmente a deputada Isa Penna (PSOL), gesto flagrado pelas câmeras do plenário da Assembleia.

PINTADAS PARA A GUERRA – Na última segunda-feira, 22 de março, por exemplo, a premiada escritora Beatriz Bracher e a cenógrafa e diretora de arte Mari Stocker, deram entrevista de página inteira à “Folha de S. Paulo” pedindo punição exemplar ao deputado, pois o caso diz respeito a todas as mulheres. Em carta dirigida a Carlão e demais deputados, a escritora escreveu: “As mulheres não gostam de ser apalpadas por pessoas a quem elas não deram essa permissão. Milhões de mulheres brasileiras são apalpadas e encoxadas diariamente no transporte público. Se os senhores deputados da Alesp desconhecem essa humilhação cotidiana, perguntem às mulheres que os cercam —mãe, filha, mulher, irmã e amiga”.


Deputado Fausto Pinato cada vez mais indisposto com o governo Bolsonaro  // Foto: Sérgio Lima/Poder360

Desenvolvido por Enzo Nagata