Arquibancada

Partiu, Tóquio

Foi sofrido, mas o futebol masculino do Brasil está classificado para a Olimpíada de Tóquio. Após empates e atuações ruins diante de Colômbia e Uruguai, a seleção não tomou conhecimento da rival Argentina e venceu por 3 a 0 em partida perfeita no encerramento do Pré-Olímpico.
Em um time recheado de talentos, o Brasil apresentou problemas no período de classificação, mas deve ir a Tóquio com uma seleção muito forte, que chega como uma das favoritas para a conquista da medalha de ouro.
Com idade olímpica, Ivan é um dos nomes para ser o goleiro titular, mas após alguns momentos de insegurança no Pré-Olímpico, pode abrir espaço para uma das opções acima de 23 anos como Alisson e Ederson.
Na zaga, posição mais problemática da equipe, é necessário a convocação de um atleta mais experiente, e Marquinhos precisa ser o nome da vez. Ao seu lado, Ibañez, Lyanco e Gabriel, que não foram liberados para o Pré-Olímpico, surgem como boas opções para o setor que deixou a desejar no torneio realizado na Colômbia. 
As laterais também foram um problema e a necessidade é que ao menos Emerson, ou Renan Lodi, estejam no elenco da seleção. Já o meio-campo não causa preocupação e a dupla Bruno Guimarães e Matheus Henrique, em excelente fase, chega para dominar o setor ao lado de Pedrinho ou até Gerson, que merece ao menos uma oportunidade.
No ataque sobram opções. Matheus Cunha, Paulinho, Reinier, Antony e Pepê foram os que mais atuaram no Pré-Olímpico, mas Vinicius Júnior, Rodrygo, David Neres, Gabriel Jesus e Richarlison possuem idade para estarem no Japão e também são opções para André Jardine. Sem contar Neymar, que pode ser o grande craque dessa seleção mesmo acima dos 23 anos.
A partir de agora resta a CBF conseguir a liberação da maior quantidade de atletas de alto nível para a Olímpiada, já que por não se tratar de uma data Fifa, os clubes não são obrigados a liberarem seus jogadores.
Qualidade e peças de alto nível essa seleção já mostrou que tem e, com um planejamento bem feito, a conquista do inédito bicampeonato olímpico pode se tornar realidade nos próximos meses.

Eduardo Martins 
 (jalesense, aluno do 4° ano de jornalismo da PUC-Campinas) 
Desenvolvido por Enzo Nagata