sexta 05 junho 2020
Política

Parini afirma que está cada vez mais difícil ser prefeito

O ex-prefeito Humberto Parini (PT) disse que vai continuar militando na política, mas sem ser candidato, pois já deu sua contribuição e agora tem que cuidar de administrar a situação, pois apesar de ter feito tudo sem levar vantagem financeira, acabou tendo que responder a vários processos.
Em entrevista de quase de 40 minutos ao repórter Tony Ramos, no programa Jornal do Povo, da Rádio Assunção, ele disse que foi muito perseguido por um promotor que depois acabou se transferindo para outra cidade. A perseguição aumentou, segundo ele, quando disse que estava sendo perseguido.
 
PROCESSOS
O ex-prefeito também criticou a operação da Polícia Federal que investigou a chamada Máfia do Asfalto, quando teve sua residência invadida, sem que nada ficasse provado. Ele disse que não pode ser acusado de pertencer a uma máfia, quando sempre combateu a corrupção, como fiscal de renda. Parini citou outra situação, lembrando que depois de quase 20 anos, o processo da Facip 97, quando ele era vice-prefeito, ainda está parado.
Outro processo foi relacionado ao Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente, quando ele foi acusado de não gastar os recursos, sendo que não existia projeto para isso. O dinheiro, segundo ele, que chega a quase R$ 2 milhões, continua parado por falta de projeto.
 
DIFICULDADES
Parini disse que hoje em dia é muito difícil ser prefeito. A dificuldade que está tendo para responder todos os processos que surgiram logo após sair da Prefeitura e durante o período em que foi prefeito mostram isso. Hoje, segundo ele, na visão do Ministério Público, todo prefeito é malandro e corrupto, o que não é verdade, pois existem muitas pessoas honestas e ele é uma delas.
Embora tenha muitos processos sendo respondidos, Parini disse que está ganhando todos em primeira instância ou na segunda, pois segundo afirmou, tudo que fez foi com transparência. 
Tudo isso, como afirmou, faz com que admire as pessoas que ainda querem ser prefeito ou ter algum outro cargo eletivo. 
Desenvolvido por Enzo Nagata