contato@jornaldejales.com.br
17 3632-1330

Para não expor convidados, noivos adiam festa de casamento

CORONAVÍRUS
22 de março de 2020
Mayara e Thiago iriam se casar ontem, 21, em Jales mas cancelaram a festa para 150 pessoas
Por Mayco Geretti, 
G1 Rio Preto e Araçatuba

A fisioterapeuta Mayara Aparecida Pretto da Fonseca, de 28 anos, idealizou cada detalhe do seu casamento com o também fisioterapeuta Thiago da Fonseca, de 35 anos. Mas o conto de fadas teve seu ponto alto adiado por um inimigo invisível: o coronavírus. A cinco dias da cerimônia, o casal que namorou por 10 anos teve que adiar o casamento em razão da pandemia.
Moradores de Votuporanga (SP), os noivos se casariam ontem, dia 21 em Jales, cidade onde se conheceram. A decisão pelo adiamento foi sofrida. Mayara conta que ela e Thiago não cogitavam que um problema que começou do outro lado do mundo pudesse, de fato, alterar os rumos do tão sonhado dia.
“Acho que assim como todo mundo, no começo vimos como algo distante, mas nessa última semana passou a ser realmente uma preocupação diária quando vimos que escolas e diversos estabelecimentos estavam mudando suas rotinas”, conta.
Os dois se casaram no cartório em 2 de março. Contudo, a “ficha” dos noivos só começou a cair sobre o quanto a pandemia poderia afetar o casamento quando o fotógrafo e outros prestadores de serviços, além de alguns convidados, começaram a perguntar por telefone e redes sociais se a festa estava confirmada.
“A gente bateu o pé e estava disposto a não ceder, mesmo que poucas pessoas aparecessem. Nos mantivemos irredutíveis até que nos perguntamos se estávamos dispostos a expor ao risco as pessoas que amamos. Aí tivemos nossa resposta”, diz Mayara.
A noiva conta que buscou se conformar com o adiamento ao pensar que jamais ficaria tranquila ao pensar que ela e Thiago poderiam ajudar a alastrar a doença.
 
ALÍVIO DOS CONVIDADOS
Thiago conta que na lista de 150 convidados estão pessoas de Florianópolis, Campinas e Belém do Pará, entre cidades da região de São José do Rio Preto. Para dar tempo dos convidados desmarcarem a ida a Jales, a comunicação sobre o adiamento começou a ser feita pelo Whatsapp. E as mensagens de resposta variaram entre o alívio e os elogios pela decisão.
“Muita gente se mostrou aliviada. Aparentemente as pessoas estavam extremamente temerosas e acredito que muitas deixariam de ir, mas talvez tivessem vergonha de assumir. Muitas deram os parabéns por termos os desprendimento de sacrificarmos momentaneamente um capítulo tão importante da nossa história”, conta o noivo.

DATA EM ABERTO
Depois de avisar os convidados, foi hora de negociar o adiamento com o salão de festas, a igreja, o buffet e todas as pessoas contratadas para o casamento. Os preparativos, contratações e pagamentos feitos ao longo de um ano e meio, de repente, tiveram que ser cancelados em horas.
Mayara disse que todos foram compreensivos e deixaram a critério dos noivos o agendamento de uma nova data, que por enquanto seguirá em aberta. A fisioterapeuta afirma que ela e Thiago vão esperar a evolução do quadro da Covid-19 para marcarem a festa para quando a rotina começar a voltar ao normal.
“O mais difícil será conciliar as datas de todos os fornecedores que já pagamos, porque imagino que o segundo semestre será concorridíssimo. Queremos para o mais rápido possível, mas o que importa, no final, é que esse dia aconteça do jeitinho que a gente planejou”, conclui a noiva.

Bruno e Dayane estudam nova data

Cidadão/Fernandópolis)

Foi uma decisão difícil, mas que resultou numa escolha sábia e solidária. Bruno Cesar Pinhel, 29, e Dayane Bernardino, 27, estavam com a data do casamento marcada e o enxoval comprado. Mas, em virtude do surto de coronavírus na região noroeste e levando em consideração a exposição dos familiares, convidados e fornecedores ao risco de contaminação, eles decidiram adiar a tão aguardada data em que celebrariam o matrimônio.
“O casamento pode esperar. Mas, não posso colocar a vida dos meus familiares em risco por um luxo meu, uma data que a gente escolheu. Acho mais importante a saúde de minha família e de meus fornecedores”, disse Dayane.
Antes de tomar essa decisão, Bruno Cesar e Dayane levaram em consideração a disseminação do Covid-19 na região e a possibilidade de contaminação ao comemorar o casamento com familiares e amigos. Para Dayane, isso colocaria a saúde de todos em risco e ressaltou que não é momento para aglomeração de pessoas, e sim, de isolamento social.
 “Na minha família, tem várias pessoas que estão no grupo de risco, pessoas com problemas respiratórios, idosos com mais de 60 anos e crianças que também apresentam problemas respiratórios”, acrescentou.
Se tudo voltar a rotina de antes, em poucos meses, Bruno e Dayane marcarão uma nova data para o casamento depois de agosto. Até lá, o casal segue unido preservando o bem mais precioso que eles têm que é a vida, a saúde e o bem estar deles e de sua família.
Num momento crítico como este em que se faz cada vez mais necessário e urgente o isolamento social de forma voluntária, o exemplo dos noivos serve como uma boa referência de como preservar a saúde do próximo em tempos de crise e como demonstração de amor em família.