jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

PADRINHO – Nem o mais ferrenho crítico das recentes falas meio destrambelhadas do presidente Jair Bolsonaro vai deixar de reconhecer que seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), merece ser recebido com tapete vermelho quando visitar Jales mais uma vez.

Fique Sabendo
04 de agosto de 2019
David, escrivão da Delegacia Federal de Jales, e Eduardo Bolsonaro, nos tempos de academia em Brasília
PADRINHO – Nem o mais ferrenho crítico das recentes falas meio destrambelhadas do presidente Jair Bolsonaro vai deixar de reconhecer que seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), merece ser recebido com tapete vermelho quando visitar Jales mais uma vez. O deputado federal mais votado do Brasil mandou ofício para a direção da Santa Casa avisando que apresentou emenda ao orçamento da União destinando R$ 1 milhão para o hospital jalesense. Como as emendas federais são impositivas, receber o dinheiro é só questão de tempo. Não foi a primeira vez. Há três anos, Eduardo destinou R$ 350 mil.

PARÇA – Vale lembrar que o parlamentar foi colega de turma de David Rodrigues Meneses, escrivão lotado na Delegacia da Polícia Federal de Jales. Conforme já registrou este jornal, o filho do presidente e David cursaram juntos a Academia Nacional da PF, em Brasília, no ano de 2010. Os dois sempre tiveram excelentes relações pessoais.  

RADAR – É voz corrente nos bastidores da política jalesense que o vale-tudo das redes sociais pode render dores de cabeça para uns e outros que, sob anonimato ou codinomes, usam e abusam de ataques pessoais. Nunca é demais lembrar que há gente altamente qualificada na área da Delegacia Seccional de Polícia para elucidar crimes cibernéticos. 

VOCAÇÃO- Por falar em Polícia Civil, um jalesense, Ailton Canato, é o presidente do inquérito que investiga supostas irregularidades na Santa Casa de Fernandópolis. A operação foi desfechada no dia 16 de julho pela equipe de Canato, que é delegado assistente da Seccional de Polícia, a partir de denúncia do vereador Murilo Jacob. Consta que o endividamento daquele hospital explodiu de uns tempos a esta parte, estando beirando hoje a casa dos R$ 40 milhões. 

ARRASTÃO – Embora o delegado Canato venha guardando prudente silêncio sobre os detalhes da operação, o que se diz em Fernandópolis é que tem peixe grande prestes a cair na rede. 

INFERNO ASTRAL – Por falar em Fernandópolis, o caso da Santa Casa não é o único a alimentar o falatório negativo. O pedido de prisão do poderoso empresário Walter Faria, presidente do Grupo Petrópolis, também excita o imaginário popular. Em larga medida, o tititi nas ruas lembra o tsunami em Jales por ocasião da Operação Farra no Tesouro, em julho do ano passado que, tanto quanto está acontecendo agora com a Operação Rock Star, explodiu no noticiário nacional. 

CINTURA – O envolvimento de Walter Faria com o financiamento de campanhas eleitorais não é novo. Diz a lenda que o empresário criou um esquema infalível para se livrar das mordidas dos candidatos nas eleições municipais de Fernandópolis. Quando alguém o procurava, Faria não dizia não, mas escapava do assédio com muita criatividade: “ primeiro você ganha a eleição e depois me procure que eu pago a conta...”     
VITRINE – A próxima sexta-feira, dia 9 de agosto, promete ser trepidante no Plenário Tancredo Neves por conta do Simpósio “A Advocacia e a Cidadania”, iniciativa da Subseção de Jales da OAB. Embora o nível dos palestrantes convidados seja elevado, a grande estrela do simpósio deverá ser o jurista Luiz Flávio Gomes, eleito deputado federal pelo PSB. Claro que não foi por acaso ele ter sido escalado para fechar o evento, discorrendo sobre o “Projeto Anticrime”, carro-chefe do pacote de propostas do ex-juiz Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública. 

VIDRAÇA- A propósito, LFG está na linha de tiro do comando do PSB por ter votado a favor da Reforma da Previdência Social. Em seu partido, foram 11 votos rebeldes. Só que, segundo a colunista Sônia Racy, do jornal O Estado de São Paulo, pelo menos dois governadores pesos-pesados, Paulo Câmara (Pernambuco) e Renato Casagrande (Espírito), já anunciaram que são contrários a qualquer punição aos chamados infiéis.  

MISSÃO- Deputado federal de primeiro mandato, Geninho Zuliani (DEM), um dos mais votados em Jales nas eleições do ano passado, já começa a conquistar espaço. Ele foi escolhido relator do projeto de lei que embasará novo marco legal para o saneamento básico no Brasil. Gentinho foi escolha pessoal do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, também do DEM. A propositura, que deverá gerar muita discussão, prevê o debate sobre a reformulação de contratações no setor de saneamento básico, estabelecendo critérios para a captação de recursos públicos por empresas privadas concessionárias de serviços de saneamento, água e esgoto.

KNOW-HOW- Vale lembrar que Geninho foi prefeito de Olímpia durante oito anos. Lá, uma autarquia, o Departamento de Água e Esgoto do Município de Olímpia (DAEMO) cuida do saneamento.