jornaljales@gmail.com
17 3632-1330

Padre vítima de golpe alerta contra fraudes

Por Luiz Ramires
26 de janeiro de 2020
O padre Arnaldo adverte: “A gente procura não ser grosseiro e é quando os golpistas se aproveitam”
Um golpe praticado através de um empréstimo feito sem a sua autorização complicou a vida do padre Arnaldo Parminondi que precisou adiar uma viagem para o exterior, enquanto procura resolver o problema.
O padre que é capelão do Hospital de Amor e Santa Casa, explicou que não queria o dinheiro, mas a moça de um escritório insistiu muito e de repente apareceu um crédito aprovado, de R$ 10 mil, só no celular, sem entrar em sua conta bancária. 
Depois disso surgiu um crédito de R$ 5 mil, na sua conta, feito junto à Crefisa, através de uma agência que informou ser de Neves Paulista. Logo a moça ligou para afirmar que aconteceu um erro e o dinheiro não era o que estava liberado e por isso tinha que ser devolvido. Ele devolveu e procurou saber o que estava acontecendo, quando percebeu que além dos R$ 10 mil, também poderia perder os outros R$ 5 mil que foram debitados em seu nome. 
Na Crefisa em Jales ele conseguiu ver o cadastro e o número do contrato dos R$ 5 mil. Tudo parecia normal. O que despertou a atenção da empresa foi o fato do crédito ter sido liberado por telefone com seu documento que tinha sido copiado e não digitalizado, sendo que a mesma exige a digitalização. Foi quando perceberam a fraude.

O GOLPE
O padre foi ao banco e ficou sabendo que os R$ 10 mil haviam sido repassados para duas pessoas. O banco informou inclusive os nomes, CPF e as agências bancárias onde os depósitos foram feitos. Um depósito de R$ 3 mil foi para uma conta de um pensionista do INSS em São José do Rio Preto e outro, de R$ 7 mil para uma pessoa de São Paulo. Depois disso o padre não consegue mais falar com a agência que deu o golpe, nem no celular e nem no fixo.
O padre registrou o caso na polícia e deixa claro que vítimas de golpes como esse podem ser vistas como trouxas, o que não é o caso, pois tudo foi feito sem a sua autorização. “Muitas vezes a gente procura ser educado, não ser grosseiro e a pessoa fica insistindo, até achar um jeito de aplicar o golpe”, afirmou.

CUIDADOS
O padre afirma que as pessoas, principalmente os aposentados, devem ficar muito atentas, procurando um banco ou um escritório físico, pois mesmo não querendo, são assediadas pelo celular por muitas empresas que têm todos os seus dados que podem ser utilizados de forma fraudulenta, como foi o seu caso. Uma dica é dizer que vai consultar o banco ou a polícia antes de fazer o empréstimo. Se for golpe, a pessoa do outro lado desaparece. 
Ele lembra que em outra ocasião tentaram fazer compras em Taubaté usando o número do seu cartão de crédito, mas como não tinham a senha, depois de três tentativas o cartão foi bloqueado e o banco imediatamente procurou saber se ele estava tentando fazer aquelas compras. O banco manteve o bloqueio e trocou o cartão.