jornaldejales@melfinet.com.br
17 3632-1330

Os políticos brasileiros e as brechas das leis

por Osmar Gabriel
08 de abril de 2018
Osmar Gabriel
Estamos presenciando nos últimos tempos uma insensatez jurídica descabida, leis que vêm apadrinhar os criminosos em geral, principalmente os de colarinho branco, conhecidos como “Ratazanas”. É fácil entender tudo isso. Se as autoridades pegarem algum cidadão brasileiro em flagrante, raspando cascas de árvores para fazer um chá, ou simplesmente furtando caixas de leite para saciar a fome de seus filhos, o mesmo é encarcerado por mais de um ano, sem nenhuma apelação que livrem sua situação. A Constituição Federal de 1988 tem em sua redação que todos são iguais perante a lei, mas, no entanto, aqui em nosso país da corrupção, isso não existe!
Mas nessa terra que um dia ousaram chamar “Terra de Santa Cruz”, os valores são invertidos onde os cidadãos de bem são marginalizados e os cidadãos do mau, ou seja, transgressores de lei, são endeusados pela fétida e imprestável justiça brasileira. 
O resultado desastroso dessa barbárie judiciária é que nós, eleitores, nos encontramos em um imenso abismo de dúvidas para escolher nossos representantes políticos que se comprometem a prestar serviços relevantes à igualdade social, mas reconhecidamente não valem nada e que demonstram todos até aqui sua capacidade de corrução, ociosidade e amnésia pós-eleições. As leis brasileiras já, falecidas há muito tempo e, de vez em quando, ressuscitadas, são verdadeiros mistos de rigor e brechas que facilitam em muito as vidas dos seus transgressores, resultando no final as famosas impunidades.
Qual é a classe que mais transgride e se beneficia da inércia das leis brasileiras?
São os políticos. Eles podem fazer tudo ilícito e são protegidos por uma tal de “Imunidade Parlamentar”, que os tornam totalmente isentos de cumprirem penalidades por suas sujeiras e falcatruas e atos de corrupção. O maior exemplo é o caso do “mensalão”, que veio se arrastando e terminou numa famosa festa de pizzas, um absurdo. 
Fico entristecido porque quando estive em viagem pela Europa e Terra Santa no ano passado, nos países que visitei, bem como acredito em todos do nosso globo terrestre, senti que nós brasileiros, independente de sermos ou não políticos, somos tachados como corruptos, ladrões e marginais, sendo por isso, muito mal vistos, ao passo que em determinados países somos discriminados e impedidos de entrar.
E de quem é a culpa dessa situação que podemos chamar de catástrofe?
Das “brechas” das leis, que protegem, acobertam e deixam impunimente esses criminosos dos colarinhos brancos que estão afundando o país de ponta a ponta, e o que é pior, sem medo de serem punidos. Nós, brasileiros, pais de família que queremos um futuro melhor para nossos filhos e nossa descendência, temos uma arma poderosíssima que pode mudar essa situação, e buscar um país melhor na área de segurança, saúde e educação, é o VOTO CONSCIENTE.
Esta poderosa arma de grosso calibre tem que ser acionada nesta e em todas as outras eleições para que realmente se faça cumprir a vontade soberana de todos nós, povo brasileiro, que tanto necessitamos de melhorias sociais negadas por àqueles em quem somos obrigados a votar, colocando-os no poder de quatro em quatro anos para nos representar oficialmente.
Não podemos mais deixar essas brechas pós-eleições, não podemos nos acomodar, e precisamos cobrar o cumprimento das promessas das campanhas dos que forem eleitos.
Afinal, nós somos um povo que tem força e o direito de mudar essa situação de ruim para muito melhor e colocar nosso país nos “trilhos”.

Osmar Gabriel
(Corretor de Imóveis
RG 8.320.382)